Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

HISTÓRIA

Vigia comemora aniversário com programação virtual

Por conta da pandemia, parte da programação de aniversário, que tem como tema “Sempre uma nova História”, está ocorrendo de forma virtual

segunda-feira, 04/01/2021, 07:43 - Atualizado em 04/01/2021, 07:48 - Autor: Wesley Costa


Cidade mais antiga do Pará tem 404 anos de história
Cidade mais antiga do Pará tem 404 anos de história | Mauro Ângelo

O município de Vigia de Nazaré, localizado no nordeste paraense, comemora 405 anos de fundação na próxima quarta-feira (6). Por conta da pandemia, parte da programação de aniversário, que tem como tema “Sempre uma nova História”, está ocorrendo de forma virtual, através das redes sociais da própria prefeitura.

Vigia foi criada no ano de 1616, recebendo inicialmente o nome de “Uruitá”, que significa “Cesto de Pedras”. No período colonial, a aldeia povoada pelos índios tupinambás transformou-se em um posto alfandegário, que tinha como objetivo fiscalizar e proteger a capital paraense de embarcações contrabandistas. A “Pérola do Salgado” como também é conhecida, nasceu seis dias antes da cidade de Belém, e continua atraindo milhares de turistas o ano todo, principalmente durante a época de carnaval.

Outro evento histórico que ocorre na cidade há 323 anos, é o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, o mais antigo do Estado. A pacata cidade abriga ainda grandes monumentos como a famosa Capela do Senhor dos Passos (Igreja de Pedras) construída pelos Jesuítas no século XVIII; a Igreja da Madre de Deus edificada em 1733; e o casarão conhecido como Trem de Guerra.

LEIA MAIS!

Fantástico, da Globo, mostra supostos abusos cometidos por Dom Alberto; arcebispo nega veracidade de denúncias

Nascido e criado no município, o escritor Raul Lobo conta que Vigia atualmente pode ser definida como uma cidade histórica que continua fazendo história. “A cidade vai completar 405 anos de muita história. Essas são histórias marcantes que perpetuaram tanto para Vigia, quanto para o Estado e até mesmo para o Brasil”, disse.

Com um formato triangular, a bandeira do município é composta pelas cores vermelha e branca. O vermelho representa a coragem do pescador vigiense em desbravar o oceano. A cor branca mostra a grandeza das águas amazônicas, em especial a beleza dos igarapés existentes no município e que servem de lazer para moradores e visitantes, fazendo da cidade um dos destinos mais procurados da região durante o ano inteiro, explicou Lobo.

O escritor recorda ainda o importante papel da cidade em um fato internacional que garantiu a solução diplomática entre o Brasil e a Argentina. No ano de 1926, aviadores argentinos foram surpreendidos por uma tempestade e jogados em alto mar quando retornavam de uma missão de Nova York (EUA). Os mesmos foram salvos por pescadores vigienses que estavam na canoa “Juruna” comandada por Josino Cardoso.

“A Argentina já tinha dado até como morto esse pessoal e como a relação entre os dois países estavam estremecidas, ela não podia entrar no Brasil para fazer o resgate, então, o primeiro passo era reatar a relação diplomática. Foi graças a esse ato de bravura de Josino de salvá-los e trazê-los para Vigia, que a Argentina voltou a ter relações diplomáticas com o Brasil”, lembra.

Toda a programação virtual pode ser acompanhada pela página oficial da Prefeitura Municipal de Vigia no Facebook.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS