Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

AULAS ON-LINE

Missão Enem no mundo virtual: estudantes aproveitam para afiar o conteúdo com aulas na internet

Videoaulas têm milhares de visualizações e canais milhões de inscritos

domingo, 22/11/2020, 09:31 - Atualizado em 22/11/2020, 09:31 - Autor: Luiz Octávio Lucas


| Freepik

Aproximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2020) traz aos estudantes um clima de apreensão ainda maior, em virtude do ano atípico com a suspensão de aulas presenciais para diminuir o risco de contaminação pelo novo coronavírus. A rotina de ir para a sala de aula de escolas e cursinhos teve de ser alterada. Agora são horas em frente às telas te TV e computadores para assistir conteúdos on-line disponibilizados pelas instituições de ensino e até de forma individualizada pelos professores. O formato que sempre existiu, mas que ganhou força na pandemia, é defendido pelos educadores como uma ferramenta bastante eficaz e procurada pelos inscritos.

Uma das vantagens é ter acesso às aulas de professores com status de “celebridade” pelo grande conhecimento sobre o Exame, agora disponibilizado em um simples clique, muitas vezes de graça. São educadores de todo o Brasil.

Um deles é o professor Noslen Borges de Oliveira. Formado em Letras Português/Espanhol, o educador de Curitiba (PR) alcançou há dois meses nada menos que três milhões de inscritos em seu canal no YouTube (Professor Noslen), onde suas revisões de conteúdos para a prova alcançam invariavelmente milhares de visualizações.

Um dos vídeos, publicados há uma semana, sobre competências para a redação, já bateu a marca de cinco mil visualizações, um feito para se orgulhar, mesmo para um veterano de cursinhos igual a ele. “Tenho o canal do YouTube há cinco anos. Graças a Deus o canal tem tido uma excelente aceitação pelos estudantes e todas as pessoas que querem aprender algo de língua portuguesa”.

A grande oferta de conteúdo didático pulveriza as atenções dos estudantes para quem se propõe a dar aula on-line. “Teve um aumento na pandemia nas visualizações, porém não como o esperado, muito porque os alunos receberam muita coisa das escolas também via internet”, destaca Noslen que, no entanto, garante a eficácia da plataforma para quem tem interesse em aprender.

“Tenho muitos relatos de pessoas que passaram em provas e mudaram de vida estudando somente pelos vídeos do canal, então com toda certeza é possível fazer qualquer prova assistindo videoaulas e também refazendo provas antigas”.

O segredo, segundo o “edutuber”, é “anotar tudo em um caderno, assistir às aulas várias vezes, pausar e não ter preguiça de buscar cada vez mais conteúdos na internet!”, afirma. “Precisa ter uma organização e proatividade do aluno, hoje todos os conteúdos que o estudante precisa, ele encontra com qualidade na internet”, diz.

O empenho em oferecer as aulas é recompensado com a gratidão dos alunos a distância. “Eu admito que depois dessas aulas e minhas práticas diárias de redação tenho a certeza que vou conseguir chegar a nota 1000 no Enem. Obrigado, professor Noslen!”, comentou o internauta Pedro Ivo em uma das interações mais recentes no canal e prontamente respondida pelo professor. “Eu tenho certeza que você conseguirá! Vamos que vamos!”, diz ele, que até compõe músicas, toca violão e canta para ajudar os internautas no aprendizado.

HISTÓRIA

O professor de História João Ernesto, o Jota, optou pelo Instagram para dar aulas (@professor.jota), ainda não tem milhares de seguidores, mas demonstra estar por dentro do que os estudantes preferem na hora de assistir as aulas preparatórias. “Os alunos gostam de vídeos mais curtos, explicativos, mais resumidos”, afirma. “O professor tem que preparar isso de uma forma diferenciada, o estilo, recurso, tempo, tudo isso é diferente no sentido de você buscar prender a atenção, para que o aluno possa fazer uma boa prova de vestibular”.

Jota é de São Paulo e avalia que as videoaulas não bastam para ficar afiado e o ideal é utilizá-las como um complemento do material impresso. “Leia a apostila, é importante grifá-la. Assista as videoaulas anotando, tenha uma mesa organizada. Tenha gerenciamento, o aluno não consegue ficar horas e horas assistindo os vídeos, é preciso ter tempo para fazer exercícios, leitura, treinar e tirar dúvidas com o professor de forma on-line”, pontua.

O hibridismo na educação, segundo Jota, foi adiantado em anos com a pandemia e ter domínio disso pode ajudar o estudante não apenas na prova do Enem. “É o futuro. Para o aluno, se ele conseguir equilibrar isso, vai ser gratificante, não somente para passar em uma faculdade, mas no aspecto profissional que hoje também passa muito pela internet”.

RETOMADA

A professora de língua portuguesa, redação e noções básicas de espanhol Laísla Rodrigues conta que tinha criado um canal no YouTube há alguns anos, mas o projeto paralelo só foi olhado com mais carinho a partir de maio, com a pandemia, ainda assim, a preferência dela é postar conteúdo didático no Instagram (@laislarodrigues), onde também oeferece um curso on-line de redação com foco nos 1000 pontos na prova. “Não é só estudar através dos vídeos, mas colocar em prática as provas anteriores”, analisa.

A professora também dá aula na rede pública de Pernambuco e admite que grande parte dos alunos precisa ser estimulada a não dessistir, com as dificuldades impostas pela Covid-19. “Meu conselho é que não desistam, pois, a média geral dos estudantes vai ser afetada por causa da pandemia. Sempre peço que os meus estudantes, que me seguem nas redes sociais, não desistam. Muitos estão com problema de ansiedade, saúde, mas persistam, é um problema mundial, que afetou todo mundo”, lembra.

Reprodução
 

Reprodução
 

| Freepik
| Freepik
| Freepik

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS