Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

UNIÃO

Edmilson fala em resolver problemas do povo e prega “grande aliança popular”

Edmilson concedeu entrevista em São Brás

segunda-feira, 16/11/2020, 08:31 - Atualizado em 16/11/2020, 10:12 - Autor: Carol Menezes


Edmilson afirmou que reunirá com a coordenação de campanha para definir estratégias
Edmilson afirmou que reunirá com a coordenação de campanha para definir estratégias | Mauro Ângelo

Primeiro colocado do primeiro turno das eleições municipais, o candidato Edmilson Rodrigues (PSOL) chegou pouco antes das 20h em seu comitê de campanha, em São Brás, onde concedeu coletiva de imprensa. Acompanhado de seu candidato a vice, Edilson Moura (PT), ele agradeceu os votos. “Somos dois professores abraçados em uma grande causa, e agradecemos quem colocou a nossa candidatura em primeiro lugar. A sensibilidade do povo captou nossa mensagem”, declarou.

Sobre se buscará o apoio de outras siglas para a votação do dia 29 de novembro, Rodrigues falou que é necessário consolidar a vitória, e também sobre a necessidade de “uma grande aliança popular para um futuro justo e feliz”. Candidatos eleitos e não eleitos dos partidos que compõem a coligação de Edmilson também participaram da comemoração no domingo à noite, que terminou com uma carreata.

Ele adiantou que já na segunda-feira reúne com a coordenação de campanha para definir as estratégias dos próximos 15 dias. “Temos história, temos experiência, mas não temos arrogância, e sim humildade. Quando falamos da Belém dos sonhos, das novas ideias, falamos com base na realidade. Nossa aliança é com o povo, e queremos apoio de todos os cidadãos, de todas as cores. As lideranças têm sua importância, mas cada vez mais as pessoas querem saber se os candidatos estão preparados. Querem uma aliança para novos projetos”, reforçou o candidato.

Ele mais uma vez confirmou que, se eleito, em 1º de janeiro, seu primeiro ato será assinar o decreto Bora Belém de renda mínima. “Enquanto houver uma única criança passando fome em Belém nós não nos contentaremos. A felicidade só é completa quando abre a janela e não vê crianças sem morada, sem estudo, passando fome. Não podemos cruzar os braços e achar que isso, a fome, o desemprego, a violência, são normais”, discursou.

Sobre seu adversário no segundo turno, delegado federal Eguchi, do Patriota, declarou não conhecer o histórico, mas reforçou que tem absoluto respeito por todos os candidatos. “Não tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, então vou manter minha tradição de respeitar as pessoas humanas. Nossa campanha será baseada em nossa experiência, conhecimento, e propostas para mudar a capital. Se as pessoas acharem que as nossas são as melhores, vamos governar Belém”, insistiu. “A própria campanha não permitiu que a gente conhecesse de forma mais profunda o adversário. Então posso falar por mim e pelo Edilson. Andamos em todos os bairros, fui pontualmente em vários bairros, porque essa é a nossa forma de fazer política”, concluiu.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS