Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SEU BOLSO

Confira como usar o cartão de crédito de forma correta

O cartão de crédito é um dos maiores responsáveis pelo endividamento. Mas, se usado de forma correta, pode ser um aliado. Veja algumas orientações do seu uso, sobretudo com a proximidade das festas de final de ano

sábado, 14/11/2020, 23:51 - Atualizado em 14/11/2020, 23:57 - Autor: Alexandra Cavalcanti


| Octávio Cardoso

O dinheiro em espécie ainda é a principal forma de pagamento utilizada no país. Mas o cartão de crédito também vem se popularizando. Um levantamento feito pela SPC Brasil mostrou que a modalidade tem quase 52 milhões de usuários. Por isso, ele já consta na lista dos principais responsáveis pelo endividamento entre as famílias brasileiras. Dessa forma, é fundamental saber usar essa forma de pagamento, especialmente com a proximidade das festas de final de ano, quando o volume de compras costuma crescer.

O Banco Central (BC), responsável por medir periodicamente o impacto dos serviços financeiros à população, divulgou que a taxa anual de parcelamento do cartão apresentou variação de 142,05%, no mês de agosto, para 137,79%, em setembro.

Já no caso do rotativo do cartão de crédito, cobrança ativada quando o consumidor paga um valor menor do que o integral da fatura do cartão, os juros foram ainda mais elevados. Nesse tipo de pagamento corre juros por até 30 dias e a variação apresentada pela taxa de juros anual ficou em 310,17% ao ano, em agosto e 309,88%, em setembro.

Para se ter uma ideia das complicações que o uso incorreto do cartão de crédito pode causar, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor-PEIC realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e Fecomércio PA, indicou que no início de outubro de 2020, 64% dos paraenses entrevistados possuíam dívidas contraídas anteriormente. E o cartão de crédito encabeça a lista das dívidas, sendo responsável por 79,1% dos casos de endividamento; seguido dos carnês (19,9%); financiamento de carro (9,5%); crédito consignado (8,6%), entre outras.

Se comparado ao mesmo período do ano anterior, a pesquisa mostra incremento de 4,1% no percentual de endividados por conta do cartão de crédito. Enquanto em outubro de 2019, esse percentual foi de 75%, no mês passado, esse percentual alcançou 79,1%.

A pesquisa mostra ainda que a situação dos endividados (incluindo todas as modalidades e não apenas cartão de crédito), em alguns casos, deve se estender ainda por algum tempo. A parcela das famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso – e que, portanto, permanecerão inadimplentes – apresentou discreta elevação de 14% em setembro/20 e 14,2% em outubro, mas com aumento em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando este indicador era de 12%.

RECOMENDAÇÕES

Para não fazer parte do percentual de endividados por conta do cartão de crédito que consta da pesquisa da CNC/Fecomércio-PA, a vice-presidente regional da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Ana Ferrari destaca que é preciso deixar velhos hábitos de lado. “Um dos principais erros é que grande parte das pessoas acaba usando essa forma de pagamento como uma extensão do salário e esse é um erro fatal, porque a pessoa acaba gastando mais do que realmente pode”, explica.

Para ela, é essencial ter um controle sobre os gastos com o cartão de crédito, especialmente diante dos apelos das festividades de fim de ano, que se aproximam. “Muita gente não faz um planejamento para o orçamento doméstico para saber o quanto poderá gastar no cartão por mês. Isso acaba levando a não conseguir quitar o valor total, gerando um descontrole nas finanças”, afirma.

Ela destaca que o cartão de crédito possui os maiores juros do mercado, por isso é importante sempre que possível quitar o total da fatura. “Pagar o mínimo não é aconselhável, por conta dos juros altos”, reforça.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS