Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SEM CUIDADOS

Prédios públicos estão abandonados pela Prefeitura de Belém

Edifícios onde funcionavam a Fumbel, no bairro da Cidade Velha, e o Ipamb, na avenida Almirante Barroso estão sem uso e apodrecem, mesmo sendo locais que pertencem ao patrimônio histórico da capital

quarta-feira, 11/11/2020, 07:31 - Atualizado em 11/11/2020, 07:31 - Autor: Alexandra Cavalcanti


Prédios públicos foram esquecidos pela prefeitura e sofrem com a ação do tempo e o vandalismo
Prédios públicos foram esquecidos pela prefeitura e sofrem com a ação do tempo e o vandalismo | Mauro Ângelo

É quase impossível andar por Belém e não se deparar com prédios abandonados. São inúmeros imóveis que há anos pedem socorro. É verdade que boa parte dessas construções pertencem a iniciativa privada e por uma série de razões, permanecem sem nenhuma manutenção, a mercê das ações do tempo. Por outro lado, muitos desses imóveis fazem parte do patrimônio público, como é o caso do prédio histórico, antiga sede da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), na Rua Pe. Champagnat com a Dr. Assis, na Cidade Velha, que está completamente abandonado há anos.

O mesmo ocorre com o casarão localizado na esquina da Travessa Enéas Pinheiro com a Almirante Barroso, onde já funcionou da Funpapa e hoje está fechado com várias rachaduras e servindo como depósito de lixo. Ambos patrimônios públicos, que precisavam e mereciam ser cuidados.

No caso do primeiro imóvel, por se tratar de um prédio histórico, passou por uma fiscalização recente feita pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em março deste ano, quando foram constatados vários problemas como fissuras, pichações, descolamento do reboco, vedação parcial dos vãos em alvenaria, água empossada no interior esquadrias do pavimento superior quebradas, entre muitos outros.

 Imóveis fazem parte do patrimônio público
Imóveis fazem parte do patrimônio público Mauro Ângelo
 

Oito meses depois dessa fiscalização, a situação permanece inalterada. “Não fizeram nada por esse lugar. Ninguém da prefeitura vem nem ao menos olhar a situação que ele se encontra. Outro dia nós que tivemos que impedir um cara que estava tentando arrombar a única porta da frente”, conta a flanelinha Sidney Gomes, que há 20 anos trabalho no local, mostrando a marca da tentativa de arrombamento na única porta de acesso ao interior do prédio.

O taxista Cristino Machado também trabalha na área da Praça Frei Caetano Brandão há cinco anos e olha com tristeza para a situação do prédio, localizado em frente ao logradouro. “Essa aqui é uma parte histórica da cidade, deveria ser bem cuidada, mas o que vemos é um completo abandono”, opinou.

IPAMB

O casarão imponente de traços modernos, que já serviu de sede para a Funpapa e para a Instituto de Previdência e Assistência do Município de Belém (Ipamb) também sofre com as ações do tempo. Do lado de fora é possível ver rachaduras, lixo e entulhos por todos os lados, inclusive um colchão. Do lado de dentro a situação é ainda pior, parte da estrutura de madeira já desabou. Há água empossada propícia a proliferação de larvas do mosquito da dengue, ratos e lixo, além de vegetais crescendo em várias partes da construção.

Mesmo localizado bem ao lado de um órgão municipal, a atual sede do Ipamb, a prefeitura continua virando as costas para o que está ocorrendo no imóvel. A única ação do poder público municipal visível no local foi a colocação de alguns tapumes, que aos poucos estão sendo retirados principalmente por usuário de drogas, que se abrigam no lugar. O DIÁRIO pediu resposta à Prefeitura sobre a situação dos prédios, mas até o fechamento desta edição não houve retorno.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS