Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

DEPOIMENTO DA VÍTIMA

Dois tiros acertaram quarto do filho de Patrícia Queiroz; quatro foram disparados

Testemunha afirmou que viu quatro criminosos dentro de carro

sábado, 24/10/2020, 08:53 - Atualizado em 24/10/2020, 08:52 - Autor: DOL


| Irene Almeida/Diário do Pará

O Delegado Geral da Polícia Civil do Pará, Walter Rezende esclareceu, na tarde desta sexta-feira (23), os primeiros detalhes apurados sobre o atentado a tiros  cometido contra a residência da candidata à vice-prefeita de Belém, Patrícia Queiroz, na madrugada de hoje. Patrícia também prestou depoimento nesta tarde sobre o caso. 

De acordo com Walter Rezende, as investigações serão conduzidas pela Divisão de Homicídio, e todas as hipóteses sobre o caso são consideradas. Segundo o trabalho da perícia, foram disparados quatro tiros de dentro de um carro: dois atingiram o carro de Patrícia, e dois acertaram o quarto de um filho da candidata. 

“Já realizamos perícia necessária no local. Hoje, a Patrícia já foi ouvida em termos de declaração e nos contou alguns detalhes importantes. Nós estamos buscando filmagens, estamos fazendo diligências em torno daquele local. Era um horário de pouca movimentação. Foi em um momento de absoluto silêncio na rua”, esclareceu Walter. 

Uma testemunha ouvida pelos policiais afirmou que havia quatro criminosos dentro do veículo de onde foram efetuados os disparos. Essa informação, no entanto, será confirmada durante a investigação. 

Ainda segundo o Delegado Geral, todas as possibilidades de investigação estão sendo analisadas pela polícia, inclusive um crime com motivações políticas. 

“Inicialmente, não podemos descartar qualquer possibilidade. Temos várias vertentes e estão sendo todas cuidadosamente analisadas. O fato é que a Polícia Civil não vai medir esforços para esclarecer o que realmente ocorreu e quem são os autores desse verdadeiro atentado à democracia”, completou Walter Rezende. 

Por fim, o delegado afirmou que o Governo do Estado, por meio da Polícia Civil, irá criar uma força-tarefa voltada para investigar exclusivamente crimes que tenham como motivação influenciar nas eleições que serão realizadas no Estado. 

No dia 07 de outubro, o candidato à prefeitura de Dom Eliseu, Adriano Sousa Magalhães, foi morto a tiros por criminosos enquanto jantava. Já em Parauapebas, um candidato a prefeito foi baleado no peito no último dia 14 de outubro. 

“Nós estamos criando uma comissão que irá direcionar todas as ações com relação a esses delitos. É uma força-tarefa para dar prioridade absoluta em qualquer evento que envolva um ente público ou candidato que possa influenciar nas eleições”, concluiu o delegado. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS