Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

TRANSTORNOS

Sacar o auxílio emergencial ainda é uma luta para muita gente

Usuários formam filas no entorno de agências da Caixa, em Belém, para tentar receber a primeira parcela do benefício, que já está prestes a ser finalizado pelo governo federal

quarta-feira, 07/10/2020, 07:41 - Atualizado em 07/10/2020, 07:41 - Autor: Alexandra Cavalcanti/Diário do Pará


A movimentação era grande ontem na Caixa da esquina das avenidas José Malcher com José Bonifácio
A movimentação era grande ontem na Caixa da esquina das avenidas José Malcher com José Bonifácio | Irene Almeida/Diário do Pará

Um total de 3,9 milhões de beneficiários nascidos em junho já podem sacar o auxílio emergencial deste mês. Foram creditados R$ 2,5 bilhões para esse público, mas em frente às agências da Caixa em Belém, ontem pela manhã, muitas pessoas ainda tentavam receber parcelas atrasadas do auxílio, com valores de R$ 600 e R$ 1.200 para mulheres, chefes de família.

Esse é o caso da dona de casa Francinete Alves, moradora do distrito de Mosqueiro, que há cinco meses, desde que se inscreveu para receber o auxílio, ainda aguarda pela primeira parcela do benefício.

A dona de casa Francinete Alves tenta o saque há cinco meses
A dona de casa Francinete Alves tenta o saque há cinco meses |Irene Almeida/Diário do Pará
 

DIFICULDADES

Em uma nova tentativa, ela procurou mais uma vez a agência da Caixa em busca de solução para o problema. “Eles marcam para eu vir aqui. Tenho de sair lá de Mosqueiro, gastar dinheiro com passagens e nunca consigo receber. Daí eles marcam novamente uma data e mais uma vez a situação se repete. Já estou cansada disso”, desabafou.

Ainda sem saber se dessa vez conseguiria resolver a situação, ela questionava o banco sobre o atendimento recebido. “Conheço tanta gente que se inscreveu na mesma época que eu e já está recebendo a quarta parcela, enquanto eu, que preciso muito, não consegui receber nenhuma. Por que isso? Onde está o meu dinheiro”, indagou, ainda na parte de fora da agência.

Já a dona de casa Celestiane Gomes, moradora da Ilha do Barro, localizada próxima de Oeiras do Pará, nordeste do Estado, teve um pouco mais de sorte. Ela conseguiu receber a quarta parcela de R$ 1.200, ontem pela manhã. “Até agora não tive nenhum problema, apesar de ter de vir de longe todo mês receber aqui em Belém, porque não tem agência da Caixa lá próximo de onde moro, então sempre tenho de vir para cá”, disse.

Ela contou que o dinheiro é a única renda da família – formada por ela, o marido e a filha pequena - e que não sabe como vai ser quando acabar. “Mandaram eu voltar no dia 24. Não sei se vou continuar a receber a parcela de R$ 1.200, ou se já vou receber só os R$ 300. Não informaram nada, só mandaram eu voltar nessa data”, revelou a mulher, que precisa enfrentar a viagem de Oeiras até Belém com a filha de nove meses nos braços, porque não tem com quem deixa a criança.

Segundo a Caixa, o valor destinado para esse pagamento será de até R$ 2,5 bilhões e os “clientes não precisam madrugar nas agências”, porque ainda é possível movimentar o saldo pelo Aplicativo Caixa Tem.

Para realizar o saque em espécie, é preciso fazer o login no App Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o beneficiário deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora. O código deve ser utilizado nos caixas eletrônicos, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Os saques em dinheiro podem ser efetuados nas agências lotéricas, correspondentes Caixa Aqui ou nos bancos da Caixa.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS