Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

MOTIVAÇÃO

“Não vendo balas. Vendo um dia melhor”, diz jovem que sonha em ter uma carreira 

Conheça Rangel da Costa. Ele faz da sua atuação como vendedor nas ruas de Belém um meio para motivar as pessoas, enquanto busca realizar o sonho de ser coach de vendas e de desenvolvimento humano

domingo, 04/10/2020, 08:30 - Atualizado em 04/10/2020, 08:34 - Autor: Pryscila Soares


Na Lomas com a Almirante ou nos ônibus, Rangel faz questão de motivar as pessoas
Na Lomas com a Almirante ou nos ônibus, Rangel faz questão de motivar as pessoas | Fernando Araújo

Quando pensar em desistir, saiba que a Coca-cola vendeu apenas 25 garrafas no seu primeiro ano. Não sei quais são os seus sonhos. Seja ele qual for, não desista! Mesmo que ninguém apoie; que ninguém acredite. Não importa! A única pessoa que não pode deixar de acreditar é você”. Essa é uma das mensagens escritas pelo vendedor autônomo Rangel da Costa Reis, 27, que descobriu a sua vocação: ser um incentivador de pessoas. Mais que vender produtos alimentícios nas ruas, Rangel busca todos os dias compartilhar positividade e esperança com o próximo.

Quem passa pelo semáforo da travessa Lomas Valentinas, esquina com a avenida Almirante Barroso, ou viaja pelos coletivos em Belém, pode ter a oportunidade de encontrar com o jovem, que comercializa empadas com recheio gourmet e doces e, principalmente, receber esses incentivos. Filho de costureira e marceneiro, aos 13 anos, o belenense resolveu que ia trabalhar por conta própria para obter a sua independência financeira.

Rangel atuou como profissional liberal em uma empresa por cinco anos. Mas muitas dificuldades foram surgindo e, em 2018, ele retomou a atividade nas ruas, sabendo que assim poderia garantir o seu sustento e, ao mesmo tempo, ter uma ponte para a conquista de um sonho: ser coach de vendas e de desenvolvimento humano.

É por isso que ele sai de casa todos os dias motivado pela sua missão de ajudar a tornar o dia de uma pessoa melhor. Mesmo quem não compra seus produtos, ele faz questão que a pessoa leve consigo uma de suas mensagens. “Vi que era capaz de comprar minhas coisas. Há cinco anos cheguei a cursar administração, pelo incentivo de outras pessoas. Mas descobri que não era o que eu queria para a minha vida. Hoje o meu projeto é treinar pessoas como coach e ser um palestrante. Estar nos palcos dentro e fora do Brasil. Não importa o que estou fazendo agora, importa aonde vou chegar”.

PARCERIA

A grande incentivadora de Rangel é a sua esposa Laís Reis, 26, com quem se casou há cinco anos. É com a renda das vendas que Laís paga a faculdade de psicologia e Rangel faz cursos na área de coach. Enquanto ele trabalha, Laís imprime e prepara as mensagens que serão entregues por Rangel no dia seguinte. Além de pequenos textos motivacionais, as mensagens trazem um carimbo criado por ele, que diz “Não vendo balas. Vendo um dia melhor”.

A ideia de compartilhar as mensagens surgiu no início desse ano. Rangel conta que assistiu a um vídeo motivacional, onde uma pessoa entregava cartas para as pessoas nas ruas e, a partir disso, ele começou a distribuir as mensagens no exercício de sua atividade. “Comecei a entregar no ônibus, queria fazer algo a mais com esse sonho de transformar e agregar algo na vida das pessoas. Quando comecei a fazer isso o resultado das vendas foi muito maior. E há três meses comecei a vender e entregar as mensagens também no semáforo, na Lomas. Foi o que me abriu portas, virou uma corrente do bem porque as pessoas passaram a compartilhar em suas redes sociais”.

Uma pessoa que recebeu a mensagem de Rangel compartilhou no perfil pessoal do Instagram, em que o jovem falava sobre o sonho de ser coach e de fazer cursos na área. A iniciativa foi compartilhada por outras pessoas e chegou ao conhecimento de uma instituição que atua com a formação de coach. Rangel acabou ganhando um curso de inteligência emocional gratuito. No dia seguinte, ele recebeu outra ligação, dessa vez uma outra instituição lhe ofereceu um curso de formação de coach, em nove módulos, que ele está finalizando.

“Desde criança sempre gostei de ajudar as pessoas, de poder servir. Sempre gostei de vídeos motivacionais. Depois de grande comecei a participar de palestras e conheci esse mundo do desenvolvimento humano. Entendi que existia uma profissão para agregar valor à vida das pessoas. Descobri o que eu queria ser”.

INSTAGRAM

Em seu perfil no Instagram, Rangel posta mensagens motivacionais e mostra o seu dia a dia no trabalho. “Não consigo vender por vender. O que me move é poder fazer o dia de uma pessoa melhor e graças a Deus todo dia acontece. As pessoas vão no meu Instagram e me agradecem. Através da minha história quero incentivar e treinar outras pessoas e mostrar que elas podem alcançar seus sonhos. Tem muito preconceito. Mas saber que o trabalho está sendo reconhecido é muito gratificante. Isso vale mais do que o dinheiro, a empatia vale muito mais”.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS