Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SAÚDE

Dia Mundial do Coração chama a atenção para doenças cardíacas

No Pará, médico afirma que houve um aumento de problemas cardíacos em pessoas mais jovens

domingo, 27/09/2020, 07:42 - Atualizado em 27/09/2020, 07:42 - Autor: Wesley Costa



Fazer consultas periódicas ao médico é uma das formas de cuidar do coração
Fazer consultas periódicas ao médico é uma das formas de cuidar do coração | Divulgação

O próximo dia 29 é o Dia Mundial do Coração. A data escolhida é para reforçar informações sobre prevenção e combate às doenças cardiovasculares, que têm números preocupantes. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a cada 90 segundos uma pessoa morre no Brasil em decorrência de doenças cardíacas. A Federação Mundial de Cardiologia afirma ainda que, anualmente, as doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% das mortes em todo o mundo.

O médico cardiologista Alex D’Albuquerque explica que atualmente a principal enfermidade que atinge o coração humano é a doença esclerótica coronariana. “Nesses casos, os pacientes possuem uma obstrução coronária, onde uma isquemia no músculo do coração reduz o fluxo de sangue que é levado pela artéria coronária”, disse. Nesses pacientes, as placas gordurosas que comprometem a passagem do sangue se apresentam estáveis. O principal sintoma percebido por conta do problema é a dor, acrescentou o especialista.

Outras doenças como a insuficiência cardíaca e a arritmia estão entre as principais que podem atingir o órgão. “Essas outras duas doenças podem se desenvolver em consequência da esclerótica, sendo a última a responsável pelo maior número de mortes entre pessoas mais jovens”, diz o cardiologista.

“A principal causa da arritmia cardíaca que mata é aquela que é gerada por um sequela no músculo cardíaco, geralmente oriunda de um infarto”, explanou o médico.

O cardiologista faz um alerta para alguns fatores de risco que estão colocando as pessoas mais jovem entre as vítimas de doenças cardiovasculares. “Já se tem observado uma maior quantidade de pessoas jovens entre os mortos por problemas cardiológicos. Na maioria dessas mortes é constatada a relação com o uso de drogas ilícitas, principalmente da cocaína, do tabagismo e do uso de hormônios encontrados até mesmo dentro de academias que aconselham essa reposição hormonal”, destacou.

No Pará, o médico conta que a prática clínica já vem revelando maior admissão de pacientes jovens, com idades abaixo dos 45 anos, dando entrada nos serviços de urgência e emergência hospitalar. “Bem a grosso modo é possível dizer que houve um aumento de 15 a 20 por cento nesses atendimentos de pessoas mais novas, se comparado, por exemplo, há 15 anos atrás”, observa o especialista.

Uma boa qualidade de vida regrada com atividades físicas e alimentação saudável e idas periódicas ao médico ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, lembra Alex. “Pelo fato desse aumento da doença coronariana entre os mais jovens, é aconselhável que homens a partir dos 40 anos, e mulheres acima de 45 anos já comecem a procurar um cardiologista”, recomenda. Pessoas com histórico de doenças cardíacas na família devem optar em ir ao médico até mesmo antes dos 40 anos, sugere o cardiologista.

Aumento

Uma pesquisa realizada em 2013 pelo Ministério da Saúde apontou que em sete anos o Brasil teve um aumento de 13% no número de casos de infarto do miocárdio em pessoas com menos de 30 anos de idade. Os dados destacaram ainda que o aumento se deu em virtude do crescimento de hábitos poucos saudáveis, que acabam por comprometer a saúde dos cidadãos brasileiros desdemuito cedo.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS