Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

CONSUMO

Açaí teve queda de preço no mês de agosto

Vendedores dizem que os preços não estão em queda por conta da grande procura do produto voltado à exportação.

sábado, 26/09/2020, 09:18 - Atualizado em 26/09/2020, 09:18 - Autor: Luiz Guilherme Ramos/Diário do Pará


No Ver-o-Peso, o produto é tradicional e pode ser encontrado em refeições vendidas por até R$ 20.
No Ver-o-Peso, o produto é tradicional e pode ser encontrado em refeições vendidas por até R$ 20. | Wagner Santana/Diário do Pará

O litro do açaí médio apresentou uma queda de preço no mês passado de 5,22% em relação ao mês de julho em Belém. No comparativo de preços médios de janeiro a agosto, a queda no preço chegou a 1,96%, enquanto a queda nos últimos doze meses chega a 11,72%.

Apesar disso, existe uma variável que é a diferença de preços entre os locais de venda, englobando feiras e supermercados. Nas feiras livres, por exemplo, o litro do médio pode ser encontrado entre R$ 10,00 e R$ 12,00, enquanto nos supermercados ele pode custar de R$ 12,00 a R$ 14,90.

Candidatos já podem fazer propaganda neste domingo; veja as restrições!

Ainda conforme a pesquisa divulgada pelo Dieese, o açaí grosso, tradicionalmente com maior valor de mercado, também apresentou queda de preço. No mês de agosto do ano passado, o litro custava em média, englobando todos os postos de venda, a R$ 24,66 e encerrou o ano ao custo de R$ 23,86.

Em 2020, de janeiro a junho houve aumento de preço, atingindo o valor de R$27,78. A partir daí houve queda e no mês passado custava R$ 23,58. No balanço, a queda registrada nos preços atingiu 1,16% e 4,35% nos últimos doze meses.

Alguns vendedores no entanto, dizem que os preços não estão propriamente em queda por conta da grande procura do produto voltado à exportação. Na Feira do Ver-o-Peso, o comerciante Waldomiro Ares, 47 anos, trabalha com o tradicional menu da feira, o peixe frito com açaí, e diz que a queda nos preço não é sentida pelos comerciantes de rua.

Augusto Montenegro está cheia de calçadas quebradas, buracos e mato

“Aqui pra gente só aumenta. O problema é que mesmo estando na safra, o pessoal de fora compra tudo, então o açaí já chega aqui em menor quantidade, pois já foi para exportação”, afirma. Na barraca onde trabalha, o preço do açaí médio custa R$ 10,00, enquanto o grosso sai a R$20,00.

Os clientes também não observam diferença no preço. A comerciante Angélica Gonçalves, 39, mora na ilha de Cotijuba e sempre vem a Belém resolver compromissos. Entre um almoço e outro, o líquido sagrado dos paraenses é obrigatório. “Eu consumo todos os dias e também não vejo essa diferença para baixo”, diz.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS