Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
33°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

ÁGUAS DO GUAMÁ

Tecnologia de ponta, abastecimento e empregos: projeto vira realidade com ajuda do FNO

sexta-feira, 31/07/2020, 15:20 - Atualizado em 31/07/2020, 15:20 - Autor: Andressa Ferreira


| Reprodução

Com o objetivo de aumentar a capacidade de abastecimento da população e a eficiência do sistema de produção de água para a população da Região Metropolitana de Belém, a Bid Invest estruturou o projeto "Águas do Guamá", que deve unir duas grandes regiões, unidades Norte e Sul, englobando aproximadamente 25 bairros e beneficiando cerca de 800 mil pessoas. 

Segundo Francisco Javier Cea Sanguino, engenheiro civil, especialista em Hidráulica e Energética, gerente de contrato e porta-voz oficial em Belém do Consórcio Águas do Guamá, responsável pelas obras, dentre os benefícios do projeto está o melhor consumo de energia, minimizando as perdas de 70% a 80% para 35% a 40%.

"Além disso, a obra se faz com pouca influência ambiental, com pouco incômodo a população e no trânsito, além vai conseguir melhorar a energia necessária para o funcionamento da rede", ressalta. 

TECNOLOGIA DE PONTA E EMPREGOS

O projeto, de acordo com Javier, consiste fundamentalmente em substituir a tubulação das antigas redes existentes de cimento amianto por novas de Pead (Polietileno de Alta Densidade), material mais resistente, eficiente e mais indicado atualmente para o setor de saneamento.  

"Não compreende toda a cidade, mas a ideia é que no futuro, dependendo do resultado que a obra conseguir, é ampliar para mais redes de Belém e/ou outros projetos", enfatiza o engenheiro.

A obra também vai gerar empregos diretos e indiretos. Destes trabalhadores, estima-se que a maioria seja local.

"Teremos geração de empregos. No topo da obra, o número estará em torno de 350 a 400 pessoas e, em empregos indiretos, em torno de 1000 a 1200. Atualmente, estamos em cerca de 150 pessoas. A maior parte dos trabalhadores são paraenses, locais", garante Javier. 

O projeto “Águas do Guamá” é fruto de uma parceria público-privada, uma PPP,  com o objetivo de realizar a execução de obras e serviços compreendendo a implantação e substituição da tubulação de redes de águas e de medidores na Grande Belém visando aumentar a capacidade e eficiência no abastecimento de água nesta região. A expectativa é que quase um milhão de pessoas sejam atendidas diretamente pela obra, com bairros de Belém e Ananindeua, segundo Edmar Bernaldino, Superintendente Regional do Pará e Amapá do Banco da Amazônia. 

“A previsão é que a execução da obra alcance próximo de 180 km de extensão entre a tubulação que será substituída e mais as novas tubulações que serão instaladas e interligadas, entre os bairros que ainda não tem essa distribuição ou que o serviço ainda é precário e que será feita através da empresa Águas do Guamá. É um projeto que tem a previsão de trazer mais eficiência nesta distribuição com a troca da tubulação, instalação de novos medidores, interligando-os às unidades consumidoras deste região que será atendida", explica Bernaldino. 

ABASTECIMENTO DE QUALIDADE

O Superintendente Regional Edmar Bernaldino explica que a primeira parte da obra está voltado para a substituição  da rede de distribuição. Já a segunda, seria trocar e ligar as novas unidades consumidoras, tanto de residências, quanto de prédios comerciais que precisam do abastecimento.  

“Seriam aproximadamente 150 mil unidades consumidoras, que estariam sendo atendidas diretamente, seja por troca ou pelo cadastramento de novos hidrômetros nas unidades que estarão recebendo a água tratada. Com essa nova tubulação e cadastro de unidades consumidoras, haverá um serviço mais eficiente, reduzindo o índice de perda, porque um problema na tubulação e vazamentos nas ruas, acaba gerando um desperdício grande de água. A partir desta instalação com o emprego da tecnologia prevista, com certeza terá excelentes ganhos em eficiência e será possível a água chegar com qualidade nas unidades consumidoras”, ressalta o Edmar. 

O projeto está sendo financiado com recursos do FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte), do Banco da Amazônia, que é a principal fonte de recursos financeiros estáveis para o crédito de fomento da Região Norte e um dos principais instrumentos econômico-financeiros de execução da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), elaborada pelo Ministério da Integração Nacional.

“Além de ser um projeto que oportunizará melhor distribuição da água em diversos pontos da cidade, também é um projeto que acaba trazendo uma tecnologia muito grande na execução da obra, pois não precisa quebrar ou interromper 100% as ruas, não precisa abrir valas, ou grandes buracos para poder fazer a instalação da tubulação por onde ela tem que seguir dentro da grande Belém. Os impactos são mínimos. É um recurso do FNO, R$ 100 milhões aportados nesse projeto. A previsão de conclusão, é que no  mês de julho/21, essa obra esteja 100% entregue para a sociedade de Belém”, ressalta o Superintendente Regional do Pará e Amapá do Banco da Amazônia.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS