Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
33°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

MEDO

Paraense relata pânico durante passagem de "Ciclone Bomba" em Santa Catarina

quinta-feira, 02/07/2020, 13:06 - Atualizado em 02/07/2020, 13:06 - Autor: Savia Moura


Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte.
Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte. | Divulgação/Prefeitura de Chapecó

Nos últimos dias um fenômeno nada comum no Brasil vem assustando moradores em Santa Catarina. O "Ciclone Bomba", uma espécie de ciclone extratropical, passou por algumas cidades do Sul do país e causou estragos materiais e perdas de vidas.

O temporal vem acompanhado de ventos fortes, e entre um dos problemas deixou 1,5 milhão de consumidores sem energia elétrica, destelhou casas, assustou e provocou medo nos moradores. 

Registro foi feito e publicado nas redes sociais.
Registro foi feito e publicado nas redes sociais. Reprodução
 

Na cidade de Chapecó, no Oeste do estado, uma árvore foi derrubada pelos ventos fortes e matou uma idosa de 78 anos. Em Santo Amaro da Imperatriz, região metropolitana de Florianópolis, um homem também morreu após ser atingido pela fiação elétrica de um poste. A terceira morte aconteceu em Tijucas, na mesma região, após uma estrutura cair. Até o momento sete pessoas já morreram devido a passagem do ciclone.

PARAENSE

O paraense Júlio Lima é fotógrafo e mora há quase dois anos na cidade de São José, na região metropolitana de Florianópolis. Em relato ao DOL, ele falou sobre os momentos de pânico que viveu durante a passagem do "Ciclone Bomba".

"Foi uma coisa muito rápida. Eu e minha esposa estávamos indo na casa de uma senhora, que morava há poucos metros da nossa casa, quando do nada o tempo escureceu, e era umas 16h. E quando chegamos na casa dessa senhora a ventania começou. Pedaços de madeira, plásticos e o telhado de algumas casas estavaM sendo arremessados. E isso assustou a gente".

Divulgação/Defesa Civil de SC
 

Ele falou sobre algo parecido ter acontecido em dezembro 2018, mas nada comparado ao episódio da última terça-feira (30).

"Uma cena bem semelhante também aconteceu aqui, mas foi apenas nessa região da Grande Florianópolis, não teve todo esse impacto em Santa Catarina".

Júlio contou também que ele e a esposa tiveram sorte por conseguirem se abrigar.

"Ficamos espantados, ainda bem que a senhora nos recebeu na casa dela e nos abrigou. Ficamos na garagem vendo as coisas voando. Graças a Deus nada nos atingiu. No nosso bairro não houveram muitos estragos. Mas no centro de Florianópolis tiveram árvores caídas, fachadas de supermercados que foram derrubadas. 

O paraense relatou que os momentos de pânico duraram cerca de 30 minutos. "Foi algo rápido. Coisa de 30 minutos, muito forte e o suficiente para fazer muitos estragos".

Confira os registros nas redes sociais feitos por internautas!


Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte.
Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte. | Divulgação/Prefeitura de Chapecó
Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte. | Divulgação/Prefeitura de Chapecó
Registro foi feito e publicado nas redes sociais.
Na cidade de Chapecó houveram muitos estragos e inclusive uma morte. | Divulgação/Prefeitura de Chapecó

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS