Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

TÁ QUENTE!

Paraense começa a encarar o período mais quente do ano

sexta-feira, 26/06/2020, 07:53 - Atualizado em 26/06/2020, 07:54 - Autor: Pryscila Soares


No complexo do Ver-o-Rio, alguns aproveitaram para se refrescar no rio
No complexo do Ver-o-Rio, alguns aproveitaram para se refrescar no rio | Wagner Almeida

Com temperaturas máximas variando entre 33°C e 35°C, o paraense ainda vai enfrentar muito calor pelos próximos meses. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet-Pará), o período mais quente deve ser julho e agosto, quando os termômetros podem superar a marca dos 35°C. A orientação é manter o organismo hidratado, não descuidar do uso de protetores solares e evitar o contato direto com a radiação emitida pelo sol.

Em dias ensolarados, uma cena característica da capital paraense é o uso das sombrinhas, que amenizam a exposição aos raios solares. As temperaturas mínimas são observadas logo no início do dia. Em geral, entre 5h e 6h30 da manhã os termômetros costumam oscilar entre 23°C a 24.5°C. Por volta das 8h a temperatura já alcança os 27°C. Mas o ápice do calor ocorre no período entre 11h e 14h30, conforme explicou o diretor do Inmet-Pará, José Raimundo Abreu.

“Enquanto fica muito frio no sul (do país), aqui começa o período de muito calor que seguirá até dezembro. As temperaturas ainda podem superar os 35°C, entre julho e agosto. As pancadas de chuvas estão acontecendo, em geral, após as 16h. Mas passamos 10h com a radiação do sol chegando à superfície”, pontuou Abreu.

Segundo o diretor, há três principais fatores que estão causando o aumento da temperatura em todo o Estado. Um deles é a ausência de nuvens, que são redutoras de temperatura. O céu azul indica que a radiação solar está incidindo e aquecendo a superfície mais rapidamente. A posição geográfica de Belém também implica no aumento da temperatura, uma vez que a cidade está próxima à linha do Equador, o que favorece uma maior radiação solar, conforme ressaltou Abreu. “O vento é outro fator que influencia. Quando há pouca ventilação, há maior concentração de calor. O paraense está numa cidade com um clima quente e úmido”, comentou José Raimundo, ao acrescentar ainda que áreas menos arborizadas tendem a apresentar as temperaturas mais altas.

REGIÕES

Todo o território paraense está sendo castigado pelas altas temperaturas. No litoral, em cidades próximas ao oceano como Salinas e Bragança, as mínimas variam entre 25°C e 26°C. Isto acontece porque durante o dia há uma maior radiação incidindo sobre o oceano e, no período da noite, a água tende a perder mais lentamente o que acumulou ao longo do dia. Mas a boa notícia é que, devido às fortes rajadas de vento no litoral – que chegam a 20km/hora –, as temperaturas máximas costumam ser menores nesta região, variando entre 31°C a 33°C. Em cidades como Belém, a velocidade média do vento é de 5km/h.

Segundo o Inmet, até o mês de agosto os termômetros devem superar a marca de 35° C e as chuvas
ficarão mais raras. Na capital, o sol já domina o ambiente e a população tenta evitar o calor como pode
Segundo o Inmet, até o mês de agosto os termômetros devem superar a marca de 35° C e as chuvas ficarão mais raras. Na capital, o sol já domina o ambiente e a população tenta evitar o calor como pode Wagner Almeida
 

Mas é no extremo sul do Pará que ocorrem as temperaturas mais altas e, também, as menos elevadas. As máximas variam entre 35°C e 37°C. Já a média mínima é de 19°C a 20°C, fenômeno que não é observado no restante do Estado. “São massas de ar frio. A friagem vem acompanhada de frentes frias que entram pela Cordilheira dos Andes e causam baixas temperaturas em estados como o Acre (10°C a 12°C), Rondônia (10°C a 12°C) e o sul do Pará (19°C a 20ºC)”, concluiu José Raimundo.

Com a liberação das atividades físicas individuais praticadas em locais públicos e abertos, pela Prefeitura de Belém, a pedagoga Natália Souza, 27 anos, resolveu sair com o esposo, o jogador de futebol Rafael Rodrigues, 28, para fazer treinamento funcional ao ar livre. Eles escolheram o complexo do Ver-o-Rio. “Com máscara a gente se sente sufocada, mas tem de usar. Fico mais em casa, estudando e com o ventilador ligado direto. Procuro me hidratar e tomo vários banhos também. Eu e meu marido costumamos vir aqui. Hoje que estamos retornando, depois de todo esse período de isolamento, pra fazer treinamento funcional, porque foi liberado”, disse.

Temporal atípico

Na última quarta-feira (25), uma chuva forte caiu sobre a cidade, por volta das 15h30, e fez com que a temperatura diminuísse de 33°C para 25°C. O diretor do Inmet-Pará disse que foi um dia considerado atípico. “Formou-se uma nebulosidade, originada das brisas na região nordeste do Estado e que foram trazidas pelo vento até Belém entre 15 e 16h. No restante da tarde e à noite, a temperatura permaneceu entre 24.5°C e 25°C”, reforçou.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS