Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

TRANSPORTE

Fechamento do Terminal Rodoviário de Belém provoca tumulto em Ananindeua

terça-feira, 23/06/2020, 08:25 - Atualizado em 23/06/2020, 08:25 - Autor: Alexandre Nascimento


Em Belém, só os guichês de venda permaneceram abertos
Em Belém, só os guichês de venda permaneceram abertos | Antônio Melo

O Terminal Rodoviário de Belém está fechado para embarque e desembarque por determinação do prefeito Zenaldo Coutinho, que baixou decreto proibindo a entrada e saída na capital com a justificativa de combater a Covid-19. A determinação alterou a movimentação no terminal de Ananindeua, que por estar funcionando normalmente, recebeu os passageiros que chegam de viagem ou querem viajar.

Para quem foi ao terminal do bairro de São Brás, encontrou apenas os guichês das empresas de ônibus, que até vendiam as passagens mas avisavam aos clientes sobre a impossibilidade de embarcar. “Foi uma surpresa, levei um susto. Você compra a passagem, mas o vendedor dizer que não tem o ônibus para viajar”, disse Wendel Nunes, 34 anos, passageiro.

Diante dessa situação, a opção para os passageiros foi seguir ao endereço do município vizinho, já que o decreto não está valendo para a Região Metropolitana. “Tive que sair do terminal de Belém e vir para cá, para não perder a minha viagem”, declarou Raiane Nunes, 28 anos, secretária. “Agora, vou ter que chamar um carro no aplicativo pra ir pra Ananindeua pegar meu ônibus lá. Um transtorno, mas é o jeito”, reclamou Alberto Assis, 33 anos, professor.

Alternativa foi ir ao terminal do município vizinho para garantir a viagem de ida ou volta à capital
Alternativa foi ir ao terminal do município vizinho para garantir a viagem de ida ou volta à capital Antônio Melo
 

O mesmo problema foi enfrentado pelos passageiros que chegaram de viagem, que tiveram de encarar uma jornada adicional pela frente. “Estou cansado e com bagagens, com muita vontade de chegar em casa no Guamá. Mas, vai demorar mais um pouco para isso, o jeito vai ser chamar um Uber”, disse Álvaro Calandrini, 39 anos, servidor público.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS