Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

COLETIVA

Ônibus interestaduais estão proibidos de entrar no Pará, reforça Helder

domingo, 22/03/2020, 15:25 - Atualizado em 22/03/2020, 15:32 - Autor: DOL


As medidas foram reforçadas em entrevista coletiva
As medidas foram reforçadas em entrevista coletiva | Marco Santos/Agência Pará

O governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, reforçou, durante entrevista coletiva realizada na tarde deste domingo (22), que ônibus interestaduais estão proibidos de entrar no território paraense. As fronteiras rodoviárias (para ônibus) e fluviais do Pará estão fechadas desde a meia-noite deste domingo, mas caminhões e carretas e com mantimentos e alimentos, por exemplo, estão liberados. 

De acordo com Helder, além da proibição do transporte interestadual, a Polícia Militar realiza fiscalização na Estrada de Ferro Carajás para garantir que não haverá entrada de passageiros no Pará, apenas a circulação de minério. Esse acordo foi dialogado com o presidente da empresa Vale, segundo o governador. 

Helder Barbalho esclareceu também que o voo que sairia de Suriname e pousaria em Belém, na noite deste domingo (22), foi cancelado pela companhia aérea. Anteriormente, a Justiça já havia autorizado para que as autoridades paraenses fizessem cumprir regras da Vigilância Sanitária com os passageiros que chegariam no aeroporto de Belém. 

“A decisão do cancelamento foi importante porque dá tempo para conseguir, junto ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), mais informações sobre os passageiros do voo, se os mesmos têm sintomas [do Covid-19], o que eles faziam no Suriname”, esclareceu o chefe do executivo paraense.

“É um nível de desinformação que nós não podemos aceitar e permitir, porque isso viria a fragilizar a proteção que estamos fazendo no Estado”, continuou o governador do Pará. 

Helder Barbalho conversou, na manhã deste domingo, com general Ramos, Secretário do governo federal, para conseguir saber quantos paraenses estariam no voo e para conseguir “montar uma estrutura de quarentena para garantir que não haja circulação até o resultado de exames que seriam feitos”, explicou Helder. 

“A vontade é que todos [que viriam no voo de Suriname] voltem para o Brasil. São todos irmãos brasileiros. Mas temos que garantir que isso seja feito com segurança, para eles e para nós”, complementou o governador do Pará. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS