Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SAÚDE

Alimentação pode aumentar a proteção do corpo humano

domingo, 22/03/2020, 08:09 - Atualizado em 22/03/2020, 08:20 - Autor: Tiago Furtado


omar suco de laranja é uma boa recomendação para quem pretende reforçar sua autoproteção.
omar suco de laranja é uma boa recomendação para quem pretende reforçar sua autoproteção. | Divulgação

Com o avanço da pandemia da Covid-19 (novo coronavírus), que apenas no Brasil já registra quase 600 casos, incluindo dois no Pará, uma forma de reduzir os sintomas desta e outras doenças em caso de infecção é manter o sistema imunológico fortalecido por meio de uma alimentação saudável e equilibrada, que pode preparar o corpo para lidar com possível infecções, além de manter em dia os cuidados com a higiene tanto do ser humano como dos alimentos que consumir.

A nutricionista Michele Arruda explica que, de uma forma geral, a alimentação saudável e balanceada deve ser feita diariamente, mas que em tempos de pandemia, as refeições podem ser reforçadas com frutas, verduras e legumes, como uma forma de fortalecer o organismo, além de se hidratar com água frequentemente ao longo do dia.

Limão, acerola e laranja são algumas das frutas, ricas em vitamina C que a nutricionista recomenda que sejam consumidas in natura (no caso a fruta), além de legumes como beterraba, cenoura e tomate que possuem vitamina A e protegem a imunidade. Esses alimentos são recomendados tanto para os mais novos quanto os mais velhos, que integram o grupo mais vulnerável ao novo coronavírus. Além destes, o brócolis e a couve também são boas pedidas, pois contém tanto vitamina A e C juntas.

“O ideal é consumir três tipos de frutas e dois tipos de legumes por dia. Além disso, fazer algum tipo de atividade física, um exercício mínimo que seja para evitar o sedentarismo”, diz a nutricionista Michele Arruda, que também destaca que os alimentos saudáveis podem ser servidos em quantidade maior a idosos, mas nada que seja considerado em excesso. “A gente pode ter um aporte maior (de alimentos), mas é importante não exceder”, completa.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS