Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

PASSAGEIROS

Usuários padecem debaixo de sol e chuva nas paradas de ônibus

quinta-feira, 16/01/2020, 07:27 - Atualizado em 16/01/2020, 07:30 - Autor: Michelle Daniel


Ao longo de algumas vias, os usuários do transporte coletivo sofrem com abrigos sem a mínima condição de proteger contra a chuva ou sol. E há locais que nem isso tem fotos: olga leiria
Ao longo de algumas vias, os usuários do transporte coletivo sofrem com abrigos sem a mínima condição de proteger contra a chuva ou sol. E há locais que nem isso tem fotos: olga leiria | Olga Leiria

Com um clima instável na capital paraense, com chuva e sol a qualquer hora do dia, uma das maiores dificuldades que os usuários do transporte público em Belém enfrentam é a falta de abrigo adequado. O DIÁRIO percorreu alguns trechos em algumas das principais vias da cidade e percebeu estruturas precárias ou mesmo a falta do abrigo nas paradas de ônibus.

Projeto quer incluir transportes alternativos no BRT Belém

Asfalto na Almirante Barroso é questionado por motoristas

Na avenida Almirante Barroso, por exemplo, onde o fluxo de veículos, ciclistas e pedestres é intenso, a situação é preocupante. Em frente a uma universidade particular, no bairro do Marco, sentido São Brás – Entroncamento, toda a estrutura está em péssimas condições de servirde abrigo à população.

Enferrujada e com a cobertura cheia de buracos, muitos usuários nem utilizam o abrigo, como é o caso do técnico de informática Adriano Dantas, de 43 anos, que prefere esperar o ônibus embaixo da passarela. “Se ficar lá tem que ser com sombrinha. Há muito tempo está nessa situação. E isso é péssimo, principalmente nessa época de bastante chuva. Se não usar o guarda-chuva, melhor nem sair de casa, porque não temos ondenos abrigar”, reclama.

O mesmo ocorre em frente ao Exército, ainda na Almirante, sentido São Brás – Entroncamento, onde a cobertura está cheia de buracos e parte da estrutura de ferro está quebrada, uma realidade distante do conceito de abrigo. “Na verdade, percebo que em vários lugares da cidade está assim. Uma situação muito ruim. Molha mais dentro do que fora. É horrível”, comenta Mary Conceição, de 42 anos, doméstica.

Ainda na mesma avenida, quem precisa esperar o ônibus em frente a uma unidade dos Correios, rumo a Ananindeua, padece todo o tempo, faça chuva ou sol. Isso porque ali não há sequer abrigo, somente uma placa indicando o ponto de coletivo. Uma situação que ocorre a poucos metros de outra parada com cobertura e que possui o mesmo espaço.

Já na avenida Pedro Álvares Cabral, próximo à avenida Tavares Bastos, no bairro da Marambaia, a população conta apenas com alguns bancos da praça que foi cuidada pelos próprios moradores da área. Naquele ponto, também não há outra estrutura para os usuários do transporte público. “É uma situação muito complicada. A gente pega chuva e sol porque não temos essas coberturas que acredito que deveria ter. Quem mais precisa também são os idosos, mas que ficam expostos. Essa situação é um caos”, desabafa Abimael Maia, 31, recepcionista.

RESPOSTA

Em nota, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), informou que “está instalando 200 abrigos de ônibus em toda cidade e está licitado mais 200 ainda pra 2020. A secretaria ressalta que é responsável pela manutenção e instalação de abrigos de ônibus de acordo com as necessidades e locais apontados pela Semob”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS