Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

ASSASSINADA

Indignação marca sepultamento de jovem morta por ‘Maníaco’

terça-feira, 14/01/2020, 07:44 - Atualizado em 14/01/2020, 11:57 - Autor: Denilson D’Almeida


 Samara tinha 20 anos e foi envolvida em um emboscada após ser chamada para um serviço por aplicativo de mensagem
Samara tinha 20 anos e foi envolvida em um emboscada após ser chamada para um serviço por aplicativo de mensagem | Arquivo Pessoal

A emoção tomou conta de familiares e amigos da cabelereira Samara Mescouto, de 20 anos, na hora da despedida da jovem. O sepultamento dela foi realizado pontualmente às 16h, de ontem (13), em um cemitério particular de Marituba. Ela foi uma das vítimas do caso “maníaco de Marituba” e acabou sendo assassinada. Deixou três filhos, um marido e muitos sonhos que pretendia realizar ao lado da família.

Corpo de Samara é enterrado em Marituba

Galeria: corpo de Samara Mescouto é enterrado em Marituba

Na despedida final, a mãe de Samara, Cristina Duarte, disse que encontrou em Deus o amparo para lidar com a dor. Agradeceu as orações e apoio que recebeu de amigos, familiares e também de pessoas desconhecidas, mas que mostraram solidariedade.

"Maníaco de Marituba" é apreendido após fazer quatro vítimas e matar uma mulher

DOL mostrou em primeira mão e com exclusividade foto dos 'Maníacos de Marituba'

Ela declarou o seu amor à filha e emocionou a todos os presentes. “Você está na glória de Deus e um dia irei te encontra lá também”, disse. A jovem cabeleireira foi levada do Instituto Médico Legal direto para o cemitério. O velório não pôde acontecer devido ao avançado estado de decomposição em que o corpo estava quando foi encontrado na mata.

As últimas homenagens atraíram muitos amigos e parentes
As últimas homenagens atraíram muitos amigos e parentes Celso Rodrigues
 

A mãe, cristina Duarte, ficou desolada durante o enterro
A mãe, cristina Duarte, ficou desolada durante o enterro Celso Rodrigues
 

Samara Mescouto saiu de casa, na última sexta-feira (10), para atender uma suposta cliente - que teria contratado o seu serviço por meio de aplicativos de troca de mensagens e redes sociais – e não mais voltou. A família começou a procurar e fez uma campanha nas redes sociais para tentar encontrá-la. A menina é sobrinha do deputado federal Eder Mauro, que ao tomar conhecimento do desaparecimento, ajudou a polícia civil nas investigações.

Ontem, no momento do enterro, ele lamentou por não ter chegado a tempo de salvar Samara. Mas ressaltou que a partir do caso dela outras mulheres não serão mais vítimas do ato criminoso e covarde praticado pelo adolescente e seu comparsa, Jederson Menezes Alves. “Outras garotas serão salvas. A minha dor é a dor de todos”, disse.

ACUSADOS 

Vídeo mostra o adolescente levando uma das vítimas
Vídeo mostra o adolescente levando uma das vítimas Reprodução
 

O adolescente foi encaminhado para a Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data) ainda na noite de domingo (12), quando foi apreendido. Em nota divulgada à imprensa, ontem, o Ministério Público do Estado informou que o adolescente prestou depoimento no início da tarde ontem, tendo sido ouvido pela 1ª promotora de Justiça da Infância e Juventude de Marituba, Léa Mouzinho da Rocha.

De acordo com o MP, o jovem confessou o estupro e roubo de duas vítimas. Justamente as irmãs que ele atacou na manhã do sábado (11). Uma delas, inclusive, continua internada em estado grave no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua.

Em relação a Samara Mescouto, o acusado negou que tenha estuprado, roubado e matado a cabeleireira. No entanto, admitiu que ajudou a atraí-la e também a esconder o corpo na área de mata onde foi encontrado.

O Ministério Público informou que protocolou três representações contra o adolescente, sendo duas por estupro e roubo e uma por latrocínio. O MP requereu a internação provisória do adolescente.

O Tribunal de Justiça do Estado também decretou a prisão preventiva de Jederson Menezes Alves, de 20 anos, durante a audiência de custódia. Ele foi apontado pela Polícia Civil como o segundo envolvido na série de roubos, estupros e morte de profissionais de beleza em Marituba, sendo o coautor dos crimes (atos infracionais) cometidos pelo adolescente. De acordo com o juiz Iran Sampaio, da Comarca de Marituba, existe a prova da materialidade do fato, conforme declaração das testemunhas constante dos autos e indícios suficientes de autoria do acusado. A prisão dele também se deu em razão da garantia da ordem pública e pelos crimes imputados possuírem pena maior de quatro anos.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS