Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

ECONOMIA

Supermercados vão gerar duas mil vagas de emprego no Pará

domingo, 12/01/2020, 08:35 - Atualizado em 12/01/2020, 09:34 - Autor: Alexandra Cavalcanti/Diário do Pará


Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019.
Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019. | Rogério Uchôa/Diário do Pará

O cenário econômico do setor de comércio varejista do país se desenha positivo para os próximos meses. A conclusão vem de um levantamento realizado pelo departamento de economia e pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras). De acordo com o estudo, 57% dos supermercadistas apostam no aumento das vendas para o ano que se inicia. A situação tem despertado confiança no empresário supermercadista para 2020. No Pará, o setor tem acompanhado essa expectativa e já projeta que o crescimento, pelo menos nesse primeiro semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no segundo semestre do ano passado.

A boa notícia não era registrada há dois anos, quando praticamente houve um decrescimento no setor. Com esses dados, 2020 já se desenha como um ano promissor, não apenas com relação ao crescimento do setor com a abertura de novas lojas, como também com uma expectativa positiva sobre a geração de empregos nessa área.

ASPAS

Presidente da Associação Paraense de Supermercados do Pará (Aspas), Jorge Portugal destaca que os rumos da economia no último ano foram decisivos para a expectativa positiva experimentada pelo setor agora. “A economia começou a ganhar um fôlego maior, especialmente a partir do segundo semestre, principalmente com a diminuição do desemprego que, apesar de ainda não estar no nível ideal, já apresenta melhoras”, avalia.

Jorge Portugal, Presidente da Aspas.
Jorge Portugal, Presidente da Aspas. Fernando Araújo/Diário do Pará
 

A geração de empregos já é dada como certa, se a economia vier se mantendo no mesmo ritmo de crescimento. “No ano passado tivemos um crescimento de 3%, principalmente no segundo semestre. Para este ano, nossa expectativa é ainda mais positiva, acreditamos que passaremos dos atuais 50 mil empregados diretos no setor para 52 mil”.

Esse aumento deve se confirmar com a inaugurações de várias lojas previstas para este ano. “Tivemos muitos supermercados que abriram ano passado, um contraponto aos que fecharam as portas nos anos anteriores. E, este ano, já estamos com outras lojas que estão prestes a inaugurar, não apenas na capital, mas no Estado do Pará como um todo”, comemora.

Liberação do saque do FGTS ajudou o setor

Outro acontecimento que contribuiu para a melhora do setor no ano passado e aponta para um cenário mais positivo em 2020, foi a liberação do valor do saque do Fundo de Garantia pelo Tempo de Serviço (FGTS). “Embora pareça um valor pequeno, 500 reais, mais junto o volume saiu positivo para as vendas dos supermercadistas”, justificou.

Para ele, no entanto, tudo vai depender do bom desempenho da economia. “É um efeito em cadeia. Se a economia do país melhorar, todos os setores, assim como o de supermercados, vai melhorar, gerando mais empregos, especialmente porque esse setor é responsável por 6,5% do PIB (Produto Interno Bruto)do Estado”, explica.

O presidente da Aspas destaca ainda que a aprovação da reforma da previdência foi fundamental nesse processo. “Da mesma forma que será a reforma tributária, a qual temos grandes expectativas que saieste ano”, diz.

Grande parte dessa euforia se deve às boas vendas experimentadas especialmente em dezembro passado. “Tivemos um crescimento médio de 10% em relação a 2018. Posso dizer que todas as lojas tiveram um movimento muito bom”, acrescenta.

FASE

A fase próspera que se desenha para o comércio supermercadista para este ano, segundo o presidente das Aspas, chegou no momento certo, depois do setor amargar momentos bem difíceis nos últimos anos. “Posso dizer que 2017 e 2018 foram anos extremamente difíceis para nós, com uma redução de 10% na geração de emprego e com um decréscimo das vendas”, destaca.

Promissor

Este ano de 2020 já se desenha como promissor, não apenas com relação ao crescimento do setor com a abertura de novas lojas de supermercados, como também com uma expectativa bastante positiva sobre a geração de empregos nessa área.

Rede de supermercados projeta a abertura de 400 vagas

Proprietário da rede de supermercados Formosa e um dos vice-presidentes da Aspas, o empresário José Oliveira confirma o começo de melhora para o setor. “Tivemos um crescimento em 2019 de 5% a 6% (descontando a inflação) em nossas vendas, que pode ser percebido especialmente no segundo semestre do ano passado e nos preparamos bastante para isso”, diz.

Ele afirma que o novo fôlego tomado pela economia do país como um todo foi decisivo para essa melhora. “Com isso houve uma melhoria na estrutura que permitiu mais investimentos e ficamos preparados para essa melhora que está ocorrendo agora, porque seguimos acreditando no Pará e no Brasil”, avalia.

Empresário José Oliveira projeta a criação, em 2021, de mais de 700 novas vagas de emprego com a abertura de loja.
Empresário José Oliveira projeta a criação, em 2021, de mais de 700 novas vagas de emprego com a abertura de loja. Fernando Araújo/Diário do Pará
 

Com o crescimento, o empresário garante que o número de vagas de emprego deve aumentar também. “No primeiro semestre do ano passado, houve a necessidade de fazermos uns ajustes. Já no segundo semestre, voltamos a contratar e nos mantivemos acima das médias de contratação do setor. Para este ano, estamos projetando a abertura de 400 vagas diretas com a ampliação do supermercado da Duque (avenida Duque de Caxias, em Belém) e, em 2021, de mais 700 novas vagas com a abertura de uma nova loja no bairro do Guamá”, garante o empresário, que atualmente possui 3.800 funcionários. “Nossa expectativa é chegar a 2021 com 5 mil”, completa.

VENDAS

O aumento das vendas no setor, no entanto, não tem sido uniforme em todos os departamentos. “O mês de dezembro último foi muito bom em termos de vendas, especialmente na área de magazine. Por outro lado, a parte de bebidas sofreu uma queda por conta da alta dos impostos em 2019”, ressalta.

Apesar disso, na avaliação de José Oliveira, este ano deve passar longe da grande crise experimentada pelo setor em 2017 e 2018. “Tudo aponta para uma melhora, tanto a nível de Brasil quanto a nível de Pará”, acredita.

Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019.
Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019. | Rogério Uchôa/Diário do Pará
Jorge Portugal, Presidente da Aspas.
Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019. | Rogério Uchôa/Diário do Pará
Empresário José Oliveira projeta a criação, em 2021, de mais de 700 novas vagas de emprego com a abertura de loja.
Setor supermercadista espera que o crescimento no Pará, pelo menos nesse 1º semestre do ano, se aproxime dos 3,76% alcançados no 2º semestre de 2019. | Rogério Uchôa/Diário do Pará

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS