Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SEU BOLSO

Volta às aulas: economize na compra do material escolar

domingo, 05/01/2020, 08:46 - Atualizado em 05/01/2020, 08:51 - Autor: Alexandra Cavalcanti/Diário do Pará


| Reprodução

Com o fim do período festivo, é hora de se voltar para as demandas do ano que começou. Entre elas, a compra do material escolar. Em Belém, o movimento em grande parte dos estabelecimentos que trabalham com esses materiais já está crescendo. Mas, antes de sair comprando é preciso lançar mão da boa pesquisa. Além do preço, é importante levar em conta que marcas e temas podem deixar os itens mais caros. O Procon-PA chama a atenção para o que pode e o que não pode constar da lista de material escolar fornecida pelas escolas.

A recepcionista Lívia Miranda decidiu aproveitar os primeiros dias do ano para comprar os itens da lista de material escolar dos dois filhos: Joaquim, de 12 anos e João, de 2. “Estou fazendo uma pesquisa primeiro”, disse. Para ela, é fundamental pesquisar. “É preciso ter calma para andar e procurar. Mas não abro mão disso”. Ela afirma que é preciso prestar atenção nas variações de preços em relação as marcas. “Alguns itens estou comprando pela marca porque sei que são melhores. Já outras, a escolha é pelo preço mesmo”, conta.

A autônoma Railena Silva também optou por comprar o material escolar da filha, Raylla Silva, de 8 anos, nos primeiros dias do ano. “Agora está mais tranquilo. Dá para escolher melhor as coisas, com mais calma”, justificou.

Para ela, os preços não estão muito diferentes dos praticados no ano passado. “Mas, este ano, resolvi fazer a vontade dela porque não estou sentindo tanta diferença entre as marcas de alguns itens”, contou a autônoma, que estava acompanhada também do marido, Jhemenson Silva.

As papelarias estão abastecidas. “Em termos de cadernos, mochilas, lápis, canetas, borrachas que estão entre os itens que mais saem, estamos abastecidos”, garantiu o administrador de papelaria, Othon Rego. Ele explica que os preços dos itens que compõem a lista de material escolar variam muito, principalmente com relação as marcas.

Mas, na média geral, houve pouca diferença de preço em relação ao mesmo período do ano passado. “Alguns itens como, por exemplo, caderno, conseguimos oferecer um preço ainda menor que o do ano passado, graças a uma negociação que tivemos com os fornecedores”.

Outros itens, no entanto, sofreram um aumento, enquanto outros mantiveram-se no mesmo patamar de preço. “Tivemos alguns materiais que sofreram um reajuste de cerca de 8% como mochilas e mochiletes, mas em outros, como canetas e lápis, conseguimos manter o mesmo valor”, destaca.

ITENS

Antes de ir às compras do material escolar, o Procon Pará orienta que os pais e/ou responsáveis fiquem atentos aos itens pedidos na lista. O órgão, que é vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), divulgou uma lista de material escolar de 2020 como o modelo que deve ser utilizado tanto para instituições de ensino, quanto para pais e responsáveis.

O documento leva em conta a Lei Federal 9.870/99, que regulamenta os itens que podem ou não ser cobrados. No site do órgão, o diretor do Procon Pará, Nadilson Neves reforça essa determinação: “A Lei é bem especifica, porém, ainda há estabelecimentos de ensino que por algum motivo insistem em incluir itens de uso coletivo na lista de material que é fornecida aos pais dos alunos”. Por outro lado, a lista preparada pelo órgão aponta itens que podem aparecer na lista, em quantidade limitada, no caso de alunos matriculados em período integral, como os de higiene pessoal como shampoo, sabonete, escova e creme dental.

O órgão alerta ainda para a prática da chamada “venda casada”, quando o estabelecimento de ensino condiciona a compra de livros e/ou materiais escolares em uma loja específica. De acordo com o Procon/PA a prática é considerada abusiva. O órgão chama ainda atenção para o fato de a escola não poder determinar as marcas dos produtos que constam de suas listas.

PROCON

Em casos de irregularidades, os pais devem ir à sede do órgão, com a lista em mãos. A partir da materialização da denúncia, o Procon tomará as medidas cabíveis. O Procon/PA atende de segunda a sexta, das 8h às 14h (senhas limitadas), na Lomas Valentinas, 1.150, bairro da Pedreira, em Belém. Telefones: (91) 3073-2827 ou 151. Telefones para denúncias: (91) 3073-2826 e (91) 3073-2820.

ORIENTAÇÕES

- Em seu site, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) dá dicas de como economizar.

- Uma delas é verificar se os itens utilizados no ano passado estão em bom estado e podem ser reutilizados este ano. Entre os itens que costumam manter-se em bom estado estão estojo, régua e tesoura. Além disso, é importante verificar se não é possível fazer uma troca de materiais com amigos.

- Verificada essas duas possibilidades é hora de pesquisar. O Instituto aconselha comparar os preços de marcas e lojas diferentes antes de fechar a compra. Evitar personagens infantis é outra dica para conseguir preços mais baixos.

- No caso dos livros didáticos, é possível verificar a possibilidade de comprá-los diretamente da editora ou adquiri-los de sebos.

- Outra dica é a compra em grupo, ou seja, reunir-se com outros pais para ir às compras. O atacado é mais vantajoso e costuma ser mais fácil de conseguir descontos.

- Ficar atento às embalagens: devem conter informações claras a respeito do fabricante, importador, composição do produto, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco.

Reprodução
 

| Reprodução
| Reprodução

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS