Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

TRISTE REALIDADE

Ver-o-peso afunda no abandono

sábado, 04/01/2020, 07:51 - Atualizado em 04/01/2020, 08:33 - Autor: Alexandre Nascimento


| Olga Leiria

Os tapumes que cercam o Solar da Beira, que faz parte do complexo do Ver-o-Peso, em Belém, seriam uma indicação que o prédio está sendo restaurado. No entanto, a obra orçada em quase R$ 2,5 milhões, que estava prevista para ser concluída em novembro do ano passado, conforme registrado na placa da Prefeitura, não foi concluída, mesmo os trabalhos tendo iniciados em março de 2019.

Dez meses depois, o Solar da Beira permanece apenas coberto de tapumes e estruturas de ferros. No prédio histórico, é possível observar que apenas a parede do lado direito foi revestida de massa para receber algum tipo de reboco ou pintura, mas as demais partes estão totalmente iguais, completamente deterioradas.

O atraso revolta os feirantes e visitantes do espaço. Para eles, o fato do prédio fazer parte do centro histórico de Belém, deveria ser levado a sério pela prefeitura. “Essa obra é bem-vinda, já que o Solar da Beira é importante. Nossa revolta é que o prédio estava abandonado, mas a prefeitura anuncia uma reforma que passou do prazo de conclusão, mostrando não dá atenção. Sem falar do dinheiro público que deve aumentar devido a esse atraso”, considera o feirante Miraci Alexandre, 54 anos.

No prédio histórico, apenas tapumes e uma parede pintada, além da placa da Prefeitura, que prometia o término para novembro de 2019.
No prédio histórico, apenas tapumes e uma parede pintada, além da placa da Prefeitura, que prometia o término para novembro de 2019. Olga Leiria
 

FEIRA

A mesma situação de descaso vive toda a feira. O local também recebeu promessa de reforma que, conforme a própria prefeitura, possui o orçamento aprovado em R$ 40 milhões, mas nada foi feito. Devido a isso, os trabalhadores continuam sofrendo com problemas antigos, como pisos esburacados, lonas rasgadas, fiação exposta, entre outros. “Não temos condição de ficarmos em nossas barracas porque não temos iluminação, ventilação e esse piso cheio de buracos oferece risco aos clientes. Então, nós mesmos improvisamos esses caixotes para expor as mercadorias”, diz Valber Carreira, 55 anos.

Feirantes reclamam que trabalham em condições precárias no cartão-postal da capital
Feirantes reclamam que trabalham em condições precárias no cartão-postal da capital Olga Leiria
 

A promessa de revitalizar a feira vem desde 2016. Quando assumiu, Zenaldo garantiu que faria um convênio com o governador do Estado, na época ainda Simão Jatene, do mesmo partido do prefeito, o PSDB, para as obras no valor de 25 milhões. Mas até hoje, nada de obras, só problemas.

Os feirantes acreditam que a obra não sairá do papel e, se acontecer, não vai passar de uma obra eleitoreira. “Temos esse medo porque o prefeito não cumpriu o que foi prometido com o Solar da Beira. Então temos medo de passar por isso também. Outro receio que temos é que como é ano de eleição uma obra seja feita às pressas, pois aí vamos continuar sofrendo”, concluiu Wilson Rodrigues, 67, que também trabalha na área.

Resposta

Em nota, a prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), informou que a obra no Solar está em andamento, mas, em virtude de diversas questões técnicas (não especificadas) surgidas ao longo da obra de restauro, o cronograma precisou ser adequado. O novo prazo é maio de 2020. Em relação ao Ver-o-Peso, a reforma teria previsão de início ainda este mês de janeiro.

Obra na Feira ficou na promessa.
| Olga Leiria
| Olga Leiria

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS