Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

NOVEMBRO AZUL

Câncer de próstata em cães: como identificar e prevenir

sábado, 09/11/2019, 12:48 - Atualizado em 09/11/2019, 12:48 - Autor: Com informações da assessoria


Cães também sofrem com câncer de próstata.
Cães também sofrem com câncer de próstata. | Reprodução

Você sabia que o câncer de próstata pode acometer também os animais de estimação? A campanha Novembro Azul Pet, em paralelo às ações realizadas para os homens, tem como objetivo chamar a atenção dos tutores para a importância dos exames em cães machos, principalmente dos animais de meia-idade a idosos.

A próstata, segundo a veterinária do Centro Veterinário Amor & Pata, Michelly Vasconcelos, é uma glândula acessória do sistema reprodutor do macho que encontrada na cavidade pélvica durante a puberdade e permanece nessa posição até a idade adulta. Em animais idosos, a localização pode mudar devido ao aumento gradual do seu tamanho.

Segundo Michelly, a próstata circunda a uretra e, por esse motivo, "toda alteração que atinja a glândula pode comprometer órgãos vizinhos e impedir a passagem da urina ou dificultar o animal a defecar”.

Dentre as doenças que atingem a próstata, a hiperplasia prostática benigna (aumento do tamanho da glândula) é a mais comum, sendo que aproximadamente 95% dos cães não castrados, durante o avançar da idade, desenvolvem evidências dessa patologia.

Também destacam-se as prostatites bacterianas (infecções), os cistos prostáticos e o câncer propriamente dito.

“Os animais machos acometidos pelas doenças da próstata podem apresentar sintomas como febre, dor abdominal, corrimento uretral, esforço para urinar, andar enrijecido e dor quando há palpação retal. Em estágios mais avançados, podem aparecer sinais que apontam para infecções que acometem múltiplos órgãos do animal”, explica a veterinária.

Diagnóstico

O diagnóstico da hiperplasia prostática e de outras doenças que atingem a próstata, assim como nos humanos, é baseado na presença de sinais clínicos, na detecção de alterações anatômicas durante a palpação retal, nos exames radiográfico e ultrassonográfico ou ainda, nos exames citológico e histológico (biópsia), que são importantes para a distinção das afecções malignas ou benignas.

Tratamento

“O tratamento vai depender do diagnóstico correto da doença. Nos casos de infecções, a utilização de antibióticos pode oferecer bons resultados. Já nas confirmações de neoplasias (câncer), o médico veterinário pode ou não optar pela intervenção cirúrgica para a remoção do nódulo ou da próstata.

Já a hiperplasia prostática benigna tem prognóstico favorável, se detectada precocemente. O tratamento consiste em realizar a castração do animal.

"Estudos comprovam que 15 dias após a castração, a próstata diminui em até 80% o seu tamanho”, garante a veterinária.

Prevenção

Para a prevenção é essencial levar o animal ao médico veterinário regularmente, pois quando as doenças são diagnosticadas precocemente, as chances de tratamento são maiores.

A veterinária ressalta ainda, que a partir dos seis anos de idade, é recomendado que o animal faça exames preventivos, como o toque retal para palpação da próstata. E por se tratar de um exame simples, pode ser feito durante a consulta.

Outra forma de prevenir as doenças da próstata é através da castração. Segundo Michelly, é indicado que o animal seja castrado antes da puberdade para evitar a maturação da glândula e de todo o aparelho reprodutor.

 “Além da castração também é necessário oferecer ao seu pet uma alimentação com dietas balanceadas contribui de forma significativa para a manutenção da saúde dele e, consequentemente, para a redução da incidência de doenças”, finaliza Vasconcelos.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS