Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

ACESSIBILIDADE

Estudante precisa de carro adaptado para voltar a frequentar universidade. E você pode ajudar

terça-feira, 29/10/2019, 23:51 - Atualizado em 29/10/2019, 23:54 - Autor: Diario Online


| Reprodução/Whatsapp

Sem escolha, Rebeca Moreira precisou adiar o sonho de se formar no curso de Direito por falta de acessibilidade.

A estudante tem uma doença rara: Atrofia Muscular tipo III, caracterizada por fraqueza muscular e hipotonia (redução ou perda do tono muscular). Por essa condição, Rebeca fica sem força física para se segurar em um ônibus, por exemplo.

 “Em 2019 não pude cursar a faculdade presencialmente devido ao oneroso custo de meu transporte adaptado que eu e minha família não pudemos mais arcar, cerca de R$ 2 mil por mês (somente as idas à Universidade Federal do Pará, sem contar com outras corridas)”, conta Rebeca.

Para comprar um carro adaptado, ideal para transportar a estudante e permitir que ela continue a construir uma carreira de sucesso, a estudante abriu uma vaquinha online

São duas opções de veículos: uma Spin 2018, no valor de R$ 92 mil e uma Doblo Adventure 2016, de R$94 mil, ambas a pronta entrega. Caso os carros sejam vendidos antes do valor ser arrecadado, será necessário procurar outro orçamento. 

 

 

 

 

Rebeca diz que busca lutar por uma inclusão efetiva das pessoas com deficiência, em todas as áreas. “Não devemos mais ser escondidos e sermos tidos como vergonha, mas sim como orgulho”, afirma a estudante. 

Rebeca compartilha uma mensagem esperançosa: “me orgulho dos pequenos passos que dei até agora e, mesmo não estando aonde eu queria estar, creio que o futuro será brilhante!”, acredita.

A estudante pretende não só adquirir o carro adaptado, mas também ser porta-voz de pessoas que ainda não conseguiram conquistar um espaço ou que estão impossibilitados.

“Não é sobre superação, é sobre fazer o que eu quiser da forma que eu puder, com os limites, não apesar deles”, finaliza Rebeca.

Para ajudar acesse o link

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS