Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


29°
R$

Notícias / Notícias Pará

SAÚDE

Campanha conscientiza para a importância da doação de órgãos

sexta-feira, 06/09/2019, 09:19 - Atualizado em 06/09/2019, 09:28 - Autor: Redação


O Hospital Ophir Loyola é autorizado a fazer transplantes de córnea e rim.
O Hospital Ophir Loyola é autorizado a fazer transplantes de córnea e rim. | Rodolfo Oliveira/Arquivo/Ag. Pará

Até o final de julho deste ano, foram realizados no Pará 137 transplantes de córnea e 37 transplantes de rim. No mesmo período do ano passado, foram feitos no Estado 195 transplantes de córneas e 44 de rins. A fila de espera inclui 960 pessoas aguardando por córneas e outras 367 para rins. No decorrer do ano passado, 244 transplantes de córnea foram realizados no Estado, como também transplantes de rim. Em 2017, foram 303 de córnea e outros 72 de rins.

O desafio constante de mudar esse cenário será o mote da campanha “Setembro Verde”, mês dedicado ao Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, que ocorre no próximo dia 27. A abertura oficial da programação ocorre hoje (6), no auditório do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM/PA), em Belém, a partir das 9h. A solenidade é a primeira de sete ações que serão realizadas no decorrer deste mês pela Central de Transplante de Órgãos da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com o objetivo de divulgar informações e elevar os resultados da doação e transplantes de órgãos e tecidos no Estado do Pará.

O secretário de Saúde do Estado, Alberto Beltrame, destaca que a campanha vem reforçar a importância do gesto de doação, com informações que possam sensibilizar a sociedade em favor deste ato de compaixão, desprendimento e solidariedade que é salvar uma vida num momento de dor e de perda.

“Para se tornar um doador de órgãos basta avisar a família, que ainda hoje, por desconhecimento ou por motivos religiosos, é o principal problema a ser enfrentado, na hora da morte de um de seus integrantes, acrescenta Beltrame. A doação só poderá ocorrer se houver autorização da família. Daí a importância do potencial doador manifestar esse interesse entre os mais próximos de sua convivência, afirmando seu desejo de se tornar doador após a morte. No Pará são realizados os transplantes de rim e córnea nos hospitais Ophir Loyola (córnea e rim); Saúde da Mulher (somente rim, porém já credenciado o de medula óssea para convênios e particulares); Hospital Universitário

Betina Ferro (córnea pelo SUS); Clínica Cynthia Charone (córnea privado e SUS), além de algumas clínicas privadas credenciadas para transplante de córnea. No interior do Estado, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, e o Hospital Regional do Araguaia, em Redenção, realizam transplantes de rins.

A captação ocorre principalmente em Belém e Santarém, em locais onde é possível fazer os procedimentos legais necessários, principalmente no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (90% dos casos). Outros hospitais necessitam criar condições para captação de múltiplos órgãos, como por exemplo, fazer o diagnóstico de morte encefálica conforme a Resolução 2.173/2017, do Conselho Federal de Medicina (CFM).

A Central de Transplantes coordena todos os processos de doação, captação e transplantes de órgãos e tecidos; cadastra equipes, hospitais e clínicas para realização de transplantes; monitora e supervisiona o Sistema de Lista de Espera de acordo com Legislação Federal. Todo o processo de registros e informações das doações e transplantes ocorre on-line com o Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde.


MUDANÇAS

Em 2019, o Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), em Marabá, passou a fazer parte do rol de hospitais que integram a rede da Central de Transplantes do Pará. Por enquanto, a Unidade não  fará diretamente a captação nem o transplante de órgãos e tecidos, mas terá um papel crucial no atendimento às pessoas cadastradas no Sistema de Lista Única, que reúne os potenciais receptores de órgão, tecido, célula ou parte do corpo, residentes no Brasil e a notificação sobre possíveis doações de órgãos de pacientes com morte encefálica internados no HRSP.

Outro projeto de curto prazo do governo do estado em relação aos transplantes é fazer com que a Fundação Santa Casa de Misericórdia seja o primeiro hospital com uma equipe especializada em transplante renal pediátrico a realizar o procedimento em crianças a partir de 15 quilos.

O hospital também encontra-se em processo de credenciamento para a futura implantação do transplante hepático. Nos dias 13 e 14, 20 e 21/09, de 10 às 22 horas, um estande no shopping Bosque Grão-Pará distribuirá folhetos contendo orientações sobre doação de órgãos por estudantes de cursos superiores de Enfermagem.

Nos dias 27 e 28, a ação será no Parque Shopping. E no dia 16, haverá uma sessão especial na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) alusiva à doação e transplantes de órgãos.


SERVIÇO

A Central de Transplantes atende pelos telefones 3244-98115- 2941 e 3223-8168 e pelo e-mail: [email protected]

Saiba mais: www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-orgaos.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS