Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


24°
R$

Notícias / Notícias Pará

CAMETÁ

A Itália e um Pub na Amazônia

terça-feira, 23/07/2019, 11:04 - Atualizado em 27/07/2019, 13:53 - Autor: Relivaldo Pinho


|

O calor é infernal. Nós estamos no meio de uma floresta quente e úmida, e à primeira

vista insuportável. Mas acreditem, de um lado há uma bandeira da Itália e de outro há uma foto do mestre Cupijó. Mestre Cupijó é um importante músico da Amazônia, a bandeira da Itália é um sinal que nós não estamos mais em um mundo simples.

A bandeira da Itália fica em um restaurante chamado Paprika, em Cametá. A gravura do mestre Cupijó, acompanha, do outro lado da rua, um dos pontos turísticos da cidade.

O bar do gato, como é conhecido o bar, nunca foi só um bar, é um ponto turístico cametaense. Flávio Gaia, seu dono, pode atender quem ele quiser. É infrutífero você tentar persuadi-lo do contrário, se ele não for com sua cara, adeus.

Flávio abre seu bar como se abrisse sua casa. A primeira música é sagrada, é a Oração de São Jorge.


Foto: Relivaldo Pinho 

 No Paprika, ouvimos Jazz tocado por Toninho Abenathar. Sim, senhoras e senhores, em plena a selva amazônica. Continue comigo, em Cametá.

No bar do gato existem várias histórias de celebridades visitando o lugar, mais do que isso, o melhor lugar a ser visitado é a própria Cametá, inscrita nas paredes de seu bar, repleta de fotos que ele coleciona, como um dos maiores guardiões da cultura da cidade.

 No italiano, em Cametá, novamente acreditem, está tocando Charlie Parker. Um amigo do lado, me perguntou “cara, como fala isso?, é Charlie Parker, estamos em Cametá e é inacreditável.” As comidas italianas estão lá.

 
Foto: Relivaldo Pinho

Paprika. É um condimento. Nem em Cametá existe. Cametá é uma terra da pimenta do reino. Cametá é uma terra da pimenta verde e vermelha. Vocês lembram da bandeira? Vocês lembram do bar do começo?

Tradicional, histórico, lendário bar do gato não rivaliza com o novo restaurante italiano em Cametá, eles se irmanam. De um lado, a tradição de um nome, de um dos maiores guerreiros da cultura cametaense; de outro lado, a novidade de uma Amazônia que não é mais a mesma. 

 

Para o Amazônida, pode ser assustador, ele não tem somente o peixe, o rio, ele tem uma bandeira da Itália, um pub, e o rio está no meio de tudo isso. Ele pode comer um carbonara, e, em dois minutos, ele está diante de um Jack Daniel’s. E amanhã ele amanhece comendo Mapará.

Sim, senhoras e senhores, é uma nova floresta, ainda temos frutos, peixes e aves, mas, sejam bem vindos ao “admirável mundo novo”.

Acreditem. De um lado a bandeira da Itália; de outro, uma imagem do mestre Cupijó.

Relivaldo Pinho é autor de, dentre outros livros, "Antropologia e filosofia: esperiência e estética na literatura e no cinema da Amazônia", ed.ufpa.

|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS