Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
Pará

Saiba quem são todos os envolvidos na chacina no Guamá

quinta-feira, 30/05/2019, 07:08 - Atualizado em 30/05/2019, 07:38 - Autor:


Mais um suspeito de participar da chacina no Guamá foi preso ontem (29). Jonatan Albuquerque Marinho, 34 anos, conhecido como “Diel” estava acompanhado de seu advogado quando se apresentou na divisão de homicídios, em Belém. Com ele, todos os 8 acusados de participação no crime, que vitimou 11 pessoas no dia 19 de maio, estão presos.



“Esse era o último mandado de prisão que ainda estava pendente e que tínhamos apenas as informações de seu apelido e que seria um civil”, disse o secretário de Segurança Pública, Ualame Machado. O delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, ressaltou que a ação foi mais uma elucidada nesse ano de 2019. “Todas as situações, sem exceção, de crimes que tiveram relevância no âmbito estadual o sistema deu uma resposta. Inclusive em crimes que envolveram policiais militares”, lembra.



Cúpula de segurança falou sobre o resultado das investigações em coletiva ontem. (Foto: Mauro Ângelo)


Durante todo o processo investigatório, 4 armas foram apreendidas. Além dos carros que teriam sido usados no delito, coletes balísticos e aparelhos celulares também foram encontrados e irão passar por perícia, informou o delegado geral. Segundo Ualame, o papel de cada suspeito durante a chacina, a motivação do crime e outras informações serão divulgadas apenas no relatório final do inquérito. Diel já foi ouvido pelos delegados que trabalham nas investigações e agora aguarda sua transferência para o sistema penitenciário.


A cúpula de segurança não descarta a possibilidade de que os envolvidos na chacina do Guamá possam ter participado de outros crimes na Região Metropolitana de Belém. “Ainda não podemos afirmar que esse mesmo grupo tenha cometido outros extermínios, mas essa possibilidade também está sendo investigada”, disse o secretário de segurança.



INVESTIGAÇÃO


A investigação foi encerrada em dez dias, contados a partir da sexta-feira passada, quando dois policiais militares acusados de envolvimento nas mortes foram presos por ordem judicial. Atualmente, não há mandados pendentes de cumprimento dentro do inquérito, mas que as investigações continuam e os dados existentes já apontam indícios de envolvimento das pessoas presas.


Com a prisão de “Diel’, no caso das mortes ocorridas no Guamá, o delegado dá por encerrada a investigação. Alberto Teixeira destaca que, com o depoimento dele, confirmou-se o que já havia sido apurado anteriormente, tanto na mecânica do crime, quanto na identificação dos demais envolvidos.


“Todo o Sistema de Segurança Pública foi importante para elucidação do crime, principalmente, a Divisão de Homicídios, com atuação de toda a equipe, e apoio fundamental da Secretaria de Segurança Pública e da Polícia Militar. Além do crucial apoio do Poder Judiciário e do Ministério Público”, destacou Alberto Teixeira.



(Wesley Costa/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS