Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
Brasil

Estudante morre após ser estuprada por trabalhador de hospital

quinta-feira, 30/05/2019, 12:07 - Atualizado em 30/05/2019, 12:52 - Autor:


Na última quinta-feira (16), a estudante deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Goiânia Leste (GO), no Setor Universitário, com quadro de crises convulsivas. Ela precisou ser internada na UTI e, na madrugada desse primeiro dia internação, o técnico de enfermagem Ildson Custódio Bastos cometeu os abusos.


“As imagens são claras. Ele se aproxima do leito da vítima, fecha a cortina do leito ao lado e coloca as mãos por debaixo do lençol, na região da genitália da estudante, e pratica atos libidinosos. Isso teria começado por volta das 2 horas da manhã e se estendido até após às 3 horas da manhã”, destaca a delegada Paula Meotti, da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam).


A delegada relata que as imagens do circuito de segurança da unidade mostram que, quando o ato foi mais incisivo, a estudante se contorce e quase cai do leito enquanto era abusada. De acordo com Paula, como a paciente tinha oscilações de consciência, ela estava amarrada na cama, o que impossibilitava a reação da vítima.



Na manhã do dia seguinte, a jovem relatou o caso aos prantos a uma enfermeira. A profissional comunicou o ocorrido a direção da unidade que, em seguida, localizou as imagens. Ildson disse, aos diretores da unidade, que poderiam ver as imagens, pois não havia acontecido nada demais. “Essa certeza com o que ele falou nos preocupa e por isso estamos levantando informações para verificar a possibilidade dele já ter cometido abusos anteriormente a esse caso. Apesar disso, ainda não temos relatos nesse sentido”, contou Paula.


O hospital constatou que a jovem morreu em razão de “pneumonia hospitalar”. A delegada destaca que aguarda o resultado do exame cadavérico. “Não é possível alegar que de forma material tenha contribuído com a morte da jovem, mas não sabemos também a até que ponto o abalo emocional possa ter influenciado ou contribuído para a piora de seu estado de saúde”, ressaltou.


O técnico de enfermagem, de 41 anos, ainda não foi julgado pelo crime. Ele se se apresentou de forma espontânea à delegacia, mas foi preso após expedição de prisão preventiva dada pelo juiz Alessandro Manso e Silva, da 7ª Vara Criminal. O inquérito segue em finalização e deve ser remetido para o Judiciário até nesta sexta-feira (31). Ildson foi autuado por estupro de vulnerável e, se condenado, poderá pegar de 8 a 15 anos de prisão.


Leia a nota completa da Supreme Care, responsável pela UTI do Goiânia Leste:


No dia 17 de maio de 2019, os responsáveis pela UTI do Hospital Goiânia Leste receberam a denúncia de abuso sexual da paciente de 21 anos por meio de uma das técnicas de enfermagem da equipe. No mesmo momento, a direção tomou as primeiras medidas com o objetivo de proteger a paciente e investigar o ocorrido.


O técnico de enfermagem acusado pela paciente foi imediatamente suspenso e afastado da sua função. Um boletim de ocorrência com a denúncia foi registrado pelos responsáveis da UTI na Delegacia da Mulher, no dia 21/05/2019 e o funcionário foi demitido por justa causa nesse mesmo no dia. Posteriormente, também por iniciativa da empresa de UTI, o vídeo que mostra o suposto assédio do ex-funcionário, consistente num possível toque nas partes íntimas da paciente, também foi entregue à delegada responsável pelo caso.


Cada um dos 20 leitos geridos pela UTI possui câmera individualizada, que funciona e grava toda a movimentação da UTI, 24 horas por dia. Ao ex-funcionário foi dada a oportunidade de ver as imagens, o que foi recusado por ele. 
Além de ter tomado as medidas necessárias sobre a denúncia, coube aos diretores da empresa de UTI comunicar aos pais da paciente sobre o fato e sobre as medidas já tomadas. Esclarece, por fim, que a causa da morte da paciente, em 26/05/2019, não possui qualquer relação com os tristes fatos ocorridos. A empresa está à disposição das autoridades para fornecer qualquer informação adicional que possa ajudar na investigação da denúncia.


 Leia também: 



(Com informações do site Mais Goiás) 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS