Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
32°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

HERMAN CAIN

Assessor de Trump que minimizou coronavírus morre de COVID-19

quinta-feira, 30/07/2020, 15:08 - Atualizado em 30/07/2020, 15:11 - Autor: Com informações de Metro


|

Um dos principais apoiadores de Donald Trump, que minimizou o perigo representado pelo novo coronavírus, morreu com Covid-19, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (30) pela Newsmax.

Herman Cain tinha 74 anos. Uma nota divulgada em seu perfil na internet dizia: “Herman Cain - nosso chefe, nosso amigo, como pai de muitos de nós – faleceu. Sabíamos quando ele foi hospitalizado pela primeira vez com o Covid-19 que essa seria uma luta difícil. Ele teve dificuldade em respirar e foi levado ao hospital de ambulância. Todos nós rezamos para que os remédios fizessem efeito e ele voltasse ao normal, mas ficou claro rapidamente que ele estava em uma batalha”.

O presidente Trump, que procurou minimizar o atual surto de coronavírus, ainda não comentou sobre a morte de seu amigo.

Cain, que era presidente do grupo de campanha Black Voices for Trump, foi internado com Covid-19 no início de julho. 

Em sua conta do Twitter, foi anunciado que ele estava tomando oxigênio no início desta semana. Ele já havia sobrevivido a um câncer de estágio quatro e parecia estar respondendo bem ao tratamento e chegou a compartilhar informações de seu leito, em Atlanta, Geórgia.

Não está claro como ele foi infectado, embora Cain tenha sido flagrado sem máscara em um comício de Trump em Tulsa, Oklahoma, em junho.

Esse evento foi responsabilizado por um aumento de contaminações do vírus na área.

“Sinceramente, não temos idéia de onde ele se infectou. Sei que as pessoas especulam sobre o comício de Tulsa, mas Herman viajou bastante na semana passada, inclusive para o Arizona, onde os casos estão aumentando”, diz Dan Calabrese, assessor de Cain.

Herman foi um empresário de sucesso e co-CEO da Godfather’s Pizza. Ele elogiou os fogos de artifício de Trump no Dia da Independência, 4 de julho, no Mount Rushmore, em Dakota do Sul, e disse que os participantes poderiam ignorar as orientações do governo sobre o uso de máscaras.

“Máscaras não serão obrigatórias no evento, com a presença do presidente Trump. AS PESSOAS SÃO ALIMENTADAS!”, escreveu ele no Twitter e a postagem continua lá.

Ele chegou a querer ser candidato à presidência em 2011.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS