Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

DOCUMENTÁRIO DO NETFLIX

Caso de presos que costuraram bocas repercute; imagens são fortes

quarta-feira, 29/07/2020, 16:41 - Atualizado em 29/07/2020, 16:41 - Autor: Com informações do portal Daily Star


| Reprodução Agência Brasil

A prisão de Tacumbú, no Paraguai, ganhou os holofotes mundiais após as condições desumanas do local serem retratadas na série da Netflix “As prisões mais cruéis do mundo”: nela, presos dormem no chão em áreas comuns, a exemplo da quadra de esportes, e alguns internos costuraram as próprias bocas em protesto às péssimas condições do local. 

Segundo reportagem do portal Daily Star, a prisão abriga cerca de 3.000 detentos, mas foi construída para receber apenas 800 detentos. Apenas 40 agentes penitenciários são responsáveis para cuidar da população carcerária do local e conter os motins constantes.

Estima-se que cerca de 18 presos morrem dentro da prisão por ano - pelo menos a metade desse número em brigas entre os internos, já que dividem o pouco espaço da penitenciária alguns dos criminosos mais perigosos do Paraguai, entre traficantes de drogas e estupradores. 

Em protesto às péssimas condições de Tacumbu, alguns detentos aderiram a uma greve de fome e costuraram as próprias bocas para não serem forçados a comer. 

Veja as imagens que chocaram o mundo (ATENÇÃO! IMAGENS SÃO FORTES)

                        Fotos: Reprodução Getty Images

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS