Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

PESQUISAS

Antidepressivo comum pode proteger contra o coronavírus, dizem cientistas

quarta-feira, 13/05/2020, 15:16 - Atualizado em 13/05/2020, 14:17 - Autor: Com informações de The Sun


| Reprodução

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA, estão examinando a eficácia de um antidrepessivo comum na luta contra a Covid-19. Segundo eles, a fluvoxamina pode ajudar a aliviar os sintomas da doença.

As informações são do jornal britânico The Sun.

A fluvoxamina pertence a um grupo de medicamentos chamado antidepressivos (ISRS) e é normalmente prescrita para o tratamento da depressão ou para o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

No entanto, pesquisadores acreditam que a droga pode ajudar a prevenir "tempestades de citocinas" - que é onde o sistema imunológico entra em ação e inunda o corpo com mediadores de células imunes chamadas citocinas, em resposta ao Covid-19. Essa resposta imune frenética pode levar à falência de órgãos com risco de vida e tem sido uma grande preocupação em pacientes com coronavírus grave.

Os pesquisadores determinaram que a fluvoxamina pode ser um potencial tratamento para o coronavírus - depois de encontrar a droga, reduziu a produção de citocinas em pacientes em estados graves, com sepse.

O professor Alban Gaultier, pesquisador da Universidade da Virgínia, disse à News Medical : "Estou empolgado em ver os resultados deste ensaio clínico. Se comprovadamente eficaz na redução dos sintomas do Covid-19, este tratamento seria uma opção segura e acessível para combater a pandemia. Além disso, essa abordagem também pode ser aplicada a outras condições inflamatórias causadas por tempestades de citocinas, como sepse".

Uma equipe da Universidade de Washington, liderada pelo professor Eric J. Lenze, planeja testar os efeitos da fluvoxamina em 152 pacientes com Covid-19 em Illinois e Missouri.

Os pacientes receberão fluvoxamina ou placebo enquanto estiverem em quarentena em casa.

Eles terão que relatar seus níveis de oxigênio e outros sinais vitais para a equipe de pesquisa todos os dias, por telefone ou online - usando termômetros, sensores de oxigênio nas pontas dos dedos e monitores automáticos de pressão arterial fornecidos.

Os pesquisadores dizem que, mesmo que a droga se mostre ineficaz contra o Covid-19, os participantes do estudo se beneficiarão da supervisão cuidadosa dos médicos, que os ajudarão a determinar se precisam de tratamento adicional.

"Usar um medicamento psiquiátrico para tratar o COVID-19 pode parecer contra-intuitivo, mas não é mais contra-intuitivo do que usar um medicamento contra a malária", disse Lenze. "Este medicamento existe há décadas, então sabemos como usá-lo com segurança Se eficaz, poderia ser um medicamento ideal para redirecionar para pacientes ambulatoriais com Covid", explica.

A fluvoxamina é frequentemente prescrita para tratar depressão ou TOC. Funciona regulando o nível de um determinado produto químico, chamado serotonina, no cérebro.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS