Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

EVOLUÇÃO

Província chinesa onde surgiu coronavírus anuncia fim do confinamento

terça-feira, 24/03/2020, 12:33 - Atualizado em 24/03/2020, 13:50 - Autor: Com informações da Época


Apesar do alívio inicial, moradores têm que respeitar regras
Apesar do alívio inicial, moradores têm que respeitar regras | Tyrone Siu/Agência Brasil

A província de Hubei, na China, que é o berço da pandemia da Covid-19, se prepara para uma nova etapa: sair da quarentena. Nesta quarta-feira (25), os moradores da região já poderão circular livremente, de acordo com a decisão anunciada pelas autoridades chinesas.

Porém, os habitantes de Wuhan, precisam continuar em confinamento. O local segue em quarentena desde janeiro, e foi detectado o novo coronavírus na cidade. Os moradores precisam esperar até 8 de abril para poderem sair normalmente às ruas.

Para circular é necessário apresentar um código QR (código de barras bidimensional)  "verde" em seus telefones celulares, como estabeleceu o governo chinês. Esse código foi enviado pelas autoridades e atesta que a pessoa não é portadora do novo coronavírus.

O número de contaminação na província de Hubei foi consideravelmente reduzido nas últimas semanas. Muitos habitantes já retomaram a rotina de trabalho e os transportes públicos voltam a funcionar progressivamente.

Na terça-feira, a China contabilizou 78 novos casos da Covid-19, mas quase que exclusivamente identificados em pessoas vindas do exterior. Essa situação abre um alerta com uma preocupação de uma segunda onda de contagio no pais.

Confinamento aumenta

Com essa redução e liberação do isolamento, a situação da província de Hubei vai contra algumas localidades chinesas, onde os governos aumentam as restrições de circulação de pessoas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Atualmente, cerca de 1,8 bilhão de pessoas estão em quarentena ao redor do mundo e de acordo com a OMS, a pandemia da Covid-19 se acelera e 16 mil mortes foram confirmadas.

A Organização Mundial da Saúde pede que os países testem todos os casos suspeitos e multipliquem os pedidos de quarentena. O apelo leva em conta o fato de que sistemas de saúde, inclusive em países desenvolvidos, estão à beira de um colapso.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS