Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

CLIMA DE VINGANÇA

Funeral de general iraquiano é marcado por protestos contra os EUA

sábado, 04/01/2020, 10:35 - Atualizado em 04/01/2020, 10:39 - Autor: FOLHAPRESS


Milhares de pessoas foram às ruas de Bagdá neste sábado (4) para acompanhar o funeral do comandante iraquiano Abu Mahdi al-Muhandis e do general iraniano Qassim Suleimani, mortos na última quinta-feira após um ataque aéreo dos EUA na capital Iraque.

O corpo de Suleimani deve seguir ainda hoje para o Irã,onde será enterrado. Ainda não há informações de como o corpo será transportado.

O primeiro ministro do Iraque, Adel Abdel Mahdi, e outras autoridades participaram do funeral que tomou as ruas de Bagdá. O cortejo saiu do distrito de Al Jadriya, em uma área chamada Zona Verde, onde estão localizados os prédios do governo iraquiano, e seguiu pela cidade. Manifestantes acompanham o cortejo carregando bandeiras e faixas com as fotos dos generais mortos gritando "Morte à América".

A ordem para o bombardeio da última quinta-feira que matou os generais e outras sete pessoas partiu do presidente americano Donald Trump. "Sob ordens do presidente, os militares dos EUA tomaram medidas defensivas decisivas para proteger o pessoal dos EUA no exterior, matando Qassim Suleimani, chefe da Guarda Revolucionária Islâmica Corps-Quds Force, uma organização terrorista estrangeira designada pelos EUA", diz a nota do Departamento de Defesa americano.

OUTRO ATAQUE

Pouco antes do início do cortejo com os corpos dos dois generais, um novo ataque aconteceu no norte de Bagdá contra um comboio da Hashd Al Shaabi, uma coalizão paramilitar pró-iraniana que faz parte das forças de segurança do Iraque, segundo uma fonte policial.

Os EUA não assumiram a autoria do ataque até o momento. Cinco pessoas teriam morrido no novo ataque, segundo a agência AP. Já segundo a agência Reuters, seis pessoas foram mortas e outras três ficaram feridas no novo ataque.

Segundo a Reuters, as vítimas seriam parte de um comboio de médicos. A agência cita como fonte para essa informação o grupo paramilitar Forças Populares de Mobilização do Iraque.

O ataque aconteceu perto do acampamento Taji, em Bagdá. Dois dos três veículos que compunham o comboio foram encontrados queimados, disse a fonte da agência.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS