Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

SOBROU TAMBÉM PARA O BRASIL

Ativista de 16 anos “puxa orelha” de governantes mundiais

terça-feira, 24/09/2019, 10:00 - Atualizado em 24/09/2019, 15:43 - Autor: Com informações de Veja


| SPENCER PLATT/GETTY IMAGES

A adolescente ativista Greta Thunberg se dirigiu ao plenário da Cúpula da Ação Climática das Nações Unidas nesta segunda-feira, 23, e acusou os líderes mundiais de terem traído sua geração por meio da falta de ação diante do aquecimento global.

“Você vem até nós, os jovens, em busca de esperança. Como ousam?”, criticou. “Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias”, disse.

“Está tudo errado. Eu não deveria estar aqui em cima. Eu deveria estar de volta à escola do outro lado do oceano”, disse a adolescente sueca, de 16 anos, com a voz embargada e os olhos cheios d’água. “Mas os jovens estão começando a entender a traição de vocês”, acrescentou.

Denúncia ao Brasil

Logo após seu discurso, Greta e mais 15 jovens de diferentes partes do mundo apresentaram uma denúncia na ONU contra cinco das maiores economias do mundo (Alemanha, França, Brasil, Argentina e Turquia), alegando que os países estão violando os direitos humanos dos jovens ao não adotarem medidas adequadas contra as mudanças climáticas.

“A mensagem que queremos passar é a de que estamos cheios”, disse Greta durante coletiva de imprensa na qual a ação foi anunciada. A petição traz depoimentos de crianças de 12 diferentes países do mundo sobre como as mudanças climáticas estão afetando suas vidas.

Segundo a emissora CNN, que teve acesso à petição apresentada, a queixa cita estes países por já terem reconhecido a jurisdição do Acordo de Paris e por constarem entre os maiores emissores de gases causadores do efeito estufa.

A Cúpula da Ação Climática

Dias depois de milhões de jovens irem às ruas de todo o mundo para exigirem uma ação emergencial contra a mudança climática na terceira greve global pelo clima, líderes se reuniram na ONU nesta segunda-feira para tentar injetar um novo ímpeto nas iniciativas travadas para conter as emissões de carbono.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou os governos que teriam que oferecer planos de ação para se qualificarem para falar na cúpula, que pretende fortalecer o Acordo de Paris de 2015 para combater o aquecimento global.

“Milhões de todo o mundo (estão) dizendo claramente não somente que querem mudança, não somente que os tomadores de decisão precisam mudar, mas que querem que sejam responsabilizados”, disse Guterres em uma cúpula climática juvenil separada que presidiu, no sábado.

Líderes mundiais, como a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente francês, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, discursam na reunião de um dia, além de empresas que trabalham para promover a energia renovável.

O Brasil não faz parte do evento, por decisão do próprio governo federal. Porém, na contramão da administração de Jair Bolsonaro, vários governadores da região amazônica participam da reunião.

Além de Greta, outros dois representantes da cúpula climática juvenil participaram nesta segunda da Cúpula da Ação Climática, entre eles a brasileira Paloma Costa. A ambientalista de 27 anos é coordenadora de clima da ONG Engajamundo e também denunciou a falta de ação das potências mundiais no combate à mudança climática e desmatamento.

“Eu vi o mundo inteiro rezar por nossa floresta e nossos indígenas rezando para sobreviver. Nós não precisamos de rezas, precisamos de ações”, disse. “E a reposta que estamos vendo não é suficiente. Então eu me pergunto, precisamos ver a Amazônia queimar para começar a fazer alguma coisa? Eu acho que não”.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS