Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Marabá

ESCLARECIMENTOS

Homem foi morto a tiro e levou golpes de machado ao tentar se esconder em cidade paraense

Segundo a PM, ao ser alvejado, a vítima correu para baixo do veículo tentando se esconder. Neste momento foi atingido com o machado nas pernas

sexta-feira, 05/02/2021, 15:13 - Atualizado em 05/02/2021, 15:53 - Autor: Com informações Portal de Carajás


A vítima morreu embaixo de um caminhão. A esposa prestou depoimento
A vítima morreu embaixo de um caminhão. A esposa prestou depoimento | Reprodução/Arquivo pessoal

O depoimento da esposa de Carlos Alexandre Trezena da Silva, de 35 anos, que foi assassinado na noite de quinta-feira (4) pode ser a chave para que a Polícia Civil de Curionópolis, município da região sudeste do Pará, comece a esclarecer as circunstâncias do crime.

De acordo com a Polícia Militar, o corpo da vítima foi localizado na própria residência do casal, embaixo de uma caminhonete, na Avenida Goiás, no Bairro da Paz. Quando os militares chegaram no local a mulher estava sedada, após ter ingerido diversos comprimidos. Nesta sexta-feira (5) ela foi intimada a comparecer na delegacia e prestar depoimento.

VEJA TAMBÉM!

Conforme a PM, vizinhos informaram que ela estava na casa no momento do crime e que o casal estava ingerindo bebida alcoólica. Os policiais foram acionados, após escutarem barulhos suspeitos vindos do imóvel.

Ao chegar no local, Carlos apresentava ferimentos por arma de fogo na cabeça e no tórax. Aparentemente, ao ser alvejado, correu para baixo do veículo tentando se esconder. Neste momento um machado foi usado para ferir a perna direita dele, que estava exposta. Ele apresentava ferimentos no pé e na panturrilha.  

Os agentes, ainda, localizaram um projétil. Já o machado foi encontrado na carroceria da caminhonete, com lâmina manchada de sangue. As autoridades informaram que a Polícia Civil continua a investigação para tentar identificar e prender os autores do crime. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS