Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


24°
R$

Notícias / Marabá

DIA DE PROTESTO

Professor teme pelo fechamento da Universidade de Marabá em razão dos cortes

terça-feira, 13/08/2019, 22:21 - Atualizado em 13/08/2019, 22:21 - Autor: Com informações Alessandra Gonçalves


Os professores e a comunidade acadêmica foram as ruas se juntar aos manifestantes de todo o Brasil nesta terça-feira
Os professores e a comunidade acadêmica foram as ruas se juntar aos manifestantes de todo o Brasil nesta terça-feira | Divulgação

Estudantes e professores da rede municipal e estadual de ensino e a comunidade acadêmica saíram às ruas de Marabá, Sudeste do Estado, na manhã desta terça-feira (13), para protestar contra os bloqueios de verbas da educação por parte do MEC (Ministério da Educação).

A concentração ocorreu em frente à Unidade I, da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), na Folha 31, distrito Nova Marabá. De lá, os manifestantes seguiram por várias ruas do distrito e retornaram ao campus da universidade.

 

Segundo o professor Giliard Silva, da Unifesspa, esse ano foi orçado para a universidade R$ 25 milhões para gasto de custeio com limpeza, energia e segurança. Mas, desse valor, 40% foram bloqueados.

“Além disso, estavam previstos R$ 9 milhões para investimento, que são os gastos com construção, com aquisição de materiais. Mas, desses R$ 9 milhões, R$ 6 já foram cortados. Isso está inviabilizando a Unifesspa funcionar”, afirmou o professor.

De acordo com Giliard, a partir do mês de setembro a universidade não terá condições de funcionar.

“Não vai ter energia, não vai ter limpeza, não vai ter segurança. É por isso que nós estamos indo as ruas, que estamos convocando a população marabaense e da região de Carajás para também se juntar a nossa luta”.  

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS