Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


27°
R$
Elas

Seu filho está com a vacinação em dia? Saiba quais são e onde atualizar!

quinta-feira, 29/11/2018, 12:25 - Atualizado em 29/11/2018, 13:55 - Autor:


Manter os filhos protegidos e saudáveis é o objetivo de qualquer pai e mãe. Então, que tal aproveitar que as férias escolares para cuidar da saúde das crianças e atualizar as vacinas recomendadas para reduzir as chances de contrair e disseminar doenças?



A imunização é uma das melhores formas de proteção contra sérias doenças, como meningite, poliomielite, catapora e pneumonia, que podem até levar a morte, especialmente crianças pequenas.




“A vacinação é de extrema importância para evitar doenças, suas sequelas (como surdez, cegueira, paralisia, problemas neurológicos, etc) e até a morte. Além disso, ela é crucial para evitar que doenças se propaguem”, explica a coordenadora do Programa Municipal de Imunizações, Nazaré Athayde.



Além de reduzir o risco de infecção, as vacinas estimulam as defesas naturais do corpo, ajudando-o a desenvolver a imunidade à doença.



“A importância da vacinação vai muito além da prevenção individual. Ao se vacinar, você está ajudando toda a comunidade a diminuir os casos das doenças evitáveis por imunizantes. Quem não se vacina, não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e de outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a situação de doenças. Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedades de doenças graves e de suas complicações que podem até levar a morte”, garante Athayde.



5 MOTIVOS PARA VACINAR SEUS FILHOS


Protegidos de doenças sérias: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação em massa evita entre 2 a 3 milhões de mortes por ano e é responsável pela erradicação de doenças.



Proteção coletiva: é importante que pais e filhos estejam imunizados. Isso não apenas protege toda família, mas também ajuda a prevenir e evitar a disseminação de doenças.



Efetividade das vacinas: algumas pessoas, após a vacinação, as vezes podem apresentar sintomas brancos e de curta duração, como vermelhidão no local da injeção e febre. As vacinas ajudam a desenvolver a imunidade e estimulam o corpo a desenvolver a proteção para que o organismo reconheça e combata a doença.




Vacinas não sobrecarrega o sistema imune: mesmo quando o bebê recebe diversas vacinas no mesmo dia, elas contêm apenas uma pequena fração dos antígenos com os quais se depara todos os dias em seu ambiente. Vale lembrar que o sistema imunológico de um bebê saudável luta contra milhares de microrganismos todos os dias.



Vacinas gratuitas nos postos de saúde: o Ministério da Saúde disponibiliza gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como BCG (para prevenção da tuberculose em crianças); Hepatite B; Penta (vacina contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecção por Haemophilus influenzae); VIP/VOP (vacina inativada e vacina oral contra poliomielite – paralisia infantil); Pneumocócica (contra a infecção por pneumococo que causa meningite, pneumonia e infecção de ouvido - otite); Rotavírus; Meningite C (conjugada); Febre Amarela; Hepatite A; Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela - catapora); entre outras.



MÃES ATENTAS E QUE NÃO SE DESCUIDAM


Gabriella Araújo, de 27 anos, mãe da pequena Luiza Rocha, de 1 mês e 24 dias, conta que sempre esteve atenta para manter a atualização da caderneta de vacinação em dia. Para facilitar, ela optou por um posto de saúde próximo de sua casa. 



"Fiz todo calendário de vacinas do pré-natal por lá e quando Luiza nasceu logo a levei até o posto e a vacinei com 7 dias. Daqui a uns dias ela irá completar 2 meses e virão as vacinas deste período. No posto de saúde fui informada sobre essas primeiras vacinas, a importância delas para o recém-nascido. As enfermeiras tiraram todas as minha dúvidas sobre as reações que poderiam acontecer, assim como a pediatra dela, me antecipou sobre todas as vacinas na caderneta e isso me ajuda muito, pois assim sei o tempo certo que a Luiza tem que ser vacinada", explica a mamãe. 



Gabriella Araújo, mãe da pequena Luiza Rocha, não descuida da vacinação da filha. (Foto: Arquivo Pessoal)


Para Gabriella, a vacinação é um direito da criança e um dever dos pais e responsáveis. "A Luiza e todas as outras crianças só tem a ganhar com a vacinação, importante para manter a criança saudável e erradicar várias doenças. Mantendo o calendário atualizado é importante porque além de ser um benefício garantido pelo Sistema Único de Saúde, protege a criança de doenças graves como a paralisia infantil, por exemplo. As vacinas são benefícios na vida das crianças, desde que obedeçam rigorosamente as regras de conservação e aplicação", ressalta. 



Quem também está sempre atenta ao calendário de vacinação dos filhos é Tatiane Costa, mãe do pequeno Benício, de 9 meses e Thalys, de 9 anos. Mesmo com a rotina corrida, ela conta com a experiência para não perder o prazo. 



Mãe de dois, Tatiane Costa conta com a experiência para manter a vacina em dia. (Foto: Arquivo Pessoal)


"Em relação ao meu primeiro filho, todo mês olhava a carteira de vacina até para não perder o prazo, pois rotina de mãe e dona de casa é corridissima. Já com o segundo, sei quais são. Desde o meu primeiro filho leio muito sobre bebês, crianças, pediatria, doenças de infância, então sei que mantendo o calendário atualizado protejo meus filhos", destaca.



A mamãe também destaca a eficiência das vacinas. "Sobre elas, sei que para serem liberadas existem anos de estudos e experimentos. São muitos os profissionais envolvidos e se não fossem eficazes não veríamos doenças erradicadas", aponta.


O QUE É PRECISO PARA SE VACINAR?


As vacinas são gratuitas nas mais de 36 mil salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o país. Para isso, basta comparecer a um posto de saúde com o cartão de vacinação em mãos.



Para quem perdeu o cartão de vacinação, a orientação do Ministério da Saúde é para procurar o posto de saúde onde recebeu as vacinas para resgatar o histórico de vacinação e fazer a segunda via. A ausência da Caderneta de Vacinação não é um impeditivo para vacinar. Toda pessoa pode ser vacinada nos postos de saúde, onde recebe um registro de controle da vacinação (cartão), podendo atualizar mais tarde a caderneta.


SAIBA OS LOCAIS DE VACINAÇÃO DE BELÉM


CSE Marco: Av. Rômulo Maiorana, Nº 2558


UMS Guamá: Rua Barão de Igarapé-Miri, Nº 479


UMS Marambaia: Rod. Augusto Montenegro - Ao lado da Delegacia da Marambaia


UMS Pratinha: Rod. Arthur Bernardes – Base Naval


UMS Providência: Av. Norte


UMS Sacramenta: Av. Senador Lemos – Esquina com Dr. Freitas


UMS Satélite: Conj. Satélite, WE 08


UMS Sideral: Rua Sideral – Esquina com Av. Brasil


Hospital Naval: Rua do Arsenal, Nº 200


IPAMB: Av. Almirante Barroso, Nº 2070 - em frente ao Bosque


UBS Pedreira: Av. Pedro Miranda, esquina com Tv. Mauriti


UMS Águas Lindas: Conj. Verdejantes I, 2ª Rua, S/N


UMS Baía do Sol: Av. Beira Mar, S/N – Mosqueiro


UMS Cabanagem: Rua São Paulo,S/N– Entre Rua São Pedro e Rua Olímpia


UMS Cremação: Rua Pariquis - Entre Alcindo Cacela e 14 de Março


UMS Condor: Pass. Lauro Malcher, Nº 285


UMS Icoaraci: Rua Manoel Barata, Nº 840


UMS Jurunas: Rua Fernando Guilhon, S/N


UMS Maguari: Conj. Maguari, Alameda 15


UMS Cotijuba: Rua Manoel Barata, S/N – Ilha de Cotijuba


UMS Curió: Pass. Eng. Alberto Engelhard – Estrada da Ceasa


UMS Fátima: Rua Domingos Marreiros,1664 próx ao Hosp. Geral da Unimed


Hospital da Aeronáutica: Av Julio César -com Alm Barroso


Hospital do Exército: Rua Marques de Pombal - esquina com Curuçá – Umarizal


UREMIA: Av. Alcindo Cacela, Nº 1421-esquina c/ José Malcher


UMS Outeiro: Rua Francisco Gadelha  c/ Franklin de Menezes


UMS Paraíso dos Pássaros: Rua dos Tucanos


UMS Vila da Barca: Rua Coronel Luiz Bentes – Próximo à Pedro A. Cabral


UMS Tapanã: Rua São Clemente


UMS Tavares Bastos: Rua Rodolfo Chermont


UMS Telégrafo: Rua do Fio – Entre Pass. São João e Pass. São Pedro


UMS Terra Firme: Pass. São João, Nº 170 – Terra Firme


ESF Terra Firme: Pass. São João, entre Pass Liberade e São Domingos


UMS Maracajá: Tv. Siqueira Mendes, S/N


ESF Paraíso Verde: Av. João Paulo II, s/n prox. à área da Cosanpa- Curió-Utinga


ESF Fidelis: Rua Pantanal, s/n - Outeiro


ESF Paracuri I: Pass. Maura, 218- entre 3ª e 4ª rua


ESF Paracuri II: Conj. Paracuri II - Rua L-1 Q-S, nº 120


ESF Parque Verde: Rua Yamada, próx ao Emaús


ESF Radional II: Av. Bernardo Sayão, conj. Radional II -Qd: F, nº 50 - Condor


ESF Mangueirão: Rod. dos Trabalhadores- pass. S. João, 03


ESF Riacho Doce: Rua da Olaria, s/n


ESF Aeroporto: Rua dos Passos, S/N – Mosqueiro


ESF Fama: Rua Tucumareira-Estrada do Fama, nº 72 – Outeiro


ESF Furo das Marinhas: Rod. Augusto Meira Filho –s/n- Mosqueiro


ESF Souza: Av. Almirante Barroso, no SETRAN- próx ao CESUPA


ESF Sucurijuquara: Estrada da Baía do Sol, s/n- Mosqueiro


ESF Tenoné II: Rua 6ª linha- S/N ao lado da Fund. Escola Paula Francinete


CONHEÇA HISTÓRIAS REAIS DE CRIANÇAS QUE FORAM IMUNIZADAS ATRAVÉS DA VACINAÇÃO:



Leia também:



Reportagem: Andressa Ferreira/DOL


Coordenação: Gustavo Dutra/DOL


Multimídia: Gabriel Caldas/DOL

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS