Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$
Elas

Estrias: saiba os fatores que causam as lesões e como tratar

quinta-feira, 16/08/2018, 09:19 - Atualizado em 16/08/2018, 09:27 - Autor:


Entre os maiores vilões estéticos e que atinge ambos os sexos são as temidas estrias. Causadas pelo estiramento da pele até que sofra lesões nas fibras elásticas, fazendo com que elas se rompam ou se degenerem, e assim, surja a marca incômoda que podem ser nas cores brancas ou avermelhadas. Algumas regiões do corpo como os flancos, coxas, glúteos, abdômen e seios estão mais suscetíveis ao aparecimento de estrias.


Kayse Costa, responsável por tratamentos estéticos corporais e faciais, explica que a principal causa do aparecimento das estrias é o estiramento da pele. “As fibras que se rompem são responsáveis por sustentar a camada intermediária da pele, que é formada por colágeno e elastina, que mantém a elasticidade e tonicidade da pele”, explica.


Segundo informa a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), de 40% a 70% entre as mulheres brasileiras, principalmente, as adolescentes apresentam estrias. 90% das gestantes são vitimadas com as lesões. Ganho repentino de peso ou massa muscular, consumo de medicamentos corticoides e algumas alterações hormonais são capazes de interferir na elasticidade da pele, podendo ocasionar as estrias. Outro fator é o hereditário.


“Questões hormonais e genéticas são fatores cruciais que justificam a maior predisposição de estrias nas mulheres. No período da adolescência pode se manifestar por conta da fase natural do desenvolvimento do corpo. Na gravidez, a mulher sofre várias mudanças fisiológicas, o que geralmente causam o surgimento de estrias”, revela Kayse.


Tratamentos disponíveis


Existem várias opções de tratamentos para cuidar das lesões. Os procedimentos costumam ser minimamente invasivos, portanto, consideradas as opções mais eficazes de tratamentos contra estrias.


A retração de estrias é um tratamento que une aparelho de última geração, com indução ultrassônica, que estimula o colágeno e a elastina da pele para promover o cuidado da aparência da região. 


A carboxiterapia consiste na aplicação de gás sob a pele para eliminar estrias, além de eficaz no tratamento de gordura localizada e flacidez. O gás da carboxiterapia funciona melhorando a circulação celular e oxigenação dos tecidos.


A técnica ortomolecular é um procedimento a vácuo que atua na reestruturação da pele, sem ruptura. Regenera as fibras de colágeno e aumenta a vascularização da região.


A técnica da clamuflagem é feita através da tatuagem definitiva para camuflar as estrias, com tinta cor da pele, criando um efeito de ilusão de ótica.


Como evitar


Em alguns casos, as estrias podem aparecer ainda com pouca distensão da pele.  Independente das circunstâncias e como forma preventiva, recomenda-se a hidratação da pele por meio de cremes hidratantes, além de tomar, em média, de dois a três litros de água por dia e evitar o ganho de peso bruscamente.


“É importante frisar que os tratamentos para cuidar desse tipo de lesão na pele são importantes, porém, a manutenção através dos cuidados diários é crucial para os resultados mais efetivos. O uso de cremes hidratantes, aliados a um estilo de vida saudável, cuidando especialmente da alimentação, vão refletir de forma positiva na aparência saudável da pele”, ressalta Costa.


(Com informações da assessoria)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS