Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
Elas

Síndrome “Mão-pé-boca”: pediatra alerta para doença que atinge crianças

sábado, 21/04/2018, 14:08 - Atualizado em 21/04/2018, 14:45 - Autor:


Você já ouviu fala da chamada síndrome “Mão-pé-boca”, que afeta principalmente menores de cinco anos e que pode provocar desde uma simples tosse até lesões na faringe e nas amígdalas? 


Pouco conhecida, a síndrome “Mão-pé-boca” é causada por um enterovírus, um vírus que mora no nosso trato gastrintestinal. O contágio é, basicamente, por contato com secreções infectadas, fezes ou objetos de uso pessoal que foram contaminados. 


A pediatra Alinne Barros, do Hapvida Saúde afirma que, como em quase toda virose, a doença começa se manifestando como um resfriado. Começa com tosse, espirro, febre (que pode variar entre 38 e 39 graus) e falta de apetite.


“Porém, aproximadamente 48 horas depois, começam a surgir lesões nas mãos, nos pés e na boca. Essas lesões aparecem na faringe, nas amígdalas e alguns bebês têm aftas. Nas mãos e nos pés, as lesões são bolhas pequenininhas, que podem ficar cheias de pus. São lesões dolorosas, que podem coçar e incomodar bastante as crianças”, alerta a médica do Hapvida.


Barros esclarece ainda que as crianças infectadas precisam ficar em casa por até 7 dias para não transmitir o vírus. As fezes ficam contaminadas por até 4 semanas, cerca de 1 mês, ou seja, quem limpar o bebê tem que se higienizar muito bem. O tratamento é sintomático, como em qualquer outra virose, pois a doença em si tem um ciclo autolimitado. 


(Com informações do Hapvida Saúde)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS