Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
Elas

Alguns mitos e verdades sobre pelos no corpo

domingo, 08/05/2016, 12:01 - Atualizado em 08/05/2016, 12:01 - Autor:


Você tem pelos em lugares vergonhosos? Ou eles são mais grossos do que você deseja? Pelos indesejados ou excessivos são um problema.  Confira alguns mitos e verdades sobre os pelos As dicas são ds dermatologistas Leandra Metsavaht e Caroline Assed, publicadas no Portal UOL. 


É melhor arrancar o pelo do que raspá-lo. MITO: Na realidade, aqui não uma regra. "A pessoa pode optar pelo que achar melhor", destaca a dermatologista Leandra Metsavaht .


Retirar pelos da sobrancelha faz com que, ao longo do tempo, eles parem de nascer. VERDADE: A tração provocada pela retirada dos pelos faz com que os fios se atrofiem até pararem de crescer. "Pode ser um problema quando as mulheres chegam aos 50, 60 anos, quando a menopausa também traz rarefação dos pelos do corpo", diz Leandra Metsavaht. "Muita mulheres recorrem à micropigmentação para tentar melhorar o aspecto das sobrancelhas".


Pelos escuros são mais saudáveis que pelos claros. MITO: "Não existe nenhuma relação entre a cor dos pelos e o fato de serem saudáveis ou não", diz a dermatologista Leandra Metsavaht. "Os pelos mais claros são mais finos, isso sim".


Mulheres com pelos mais grossos têm mais hormônios masculinos. PARCIALMENTE VERDADE: Algumas mulheres podem ter pelos mais grossos do que a média por causa de sua constituição genética. No entanto, em casos de excesso de hormônios masculinos no corpo, "geralmente ocorre o surgimento de pelo em locais não usuais na mulher, como ao redor dos mamilos, na região mentoniana [face] e supra púbica [abaixo do umbigo]", segundo a dermatologista Caroline Assed.


Pelos pubianos protegem contra DSTs. MITO: A dermatologista Leandra Metsavaht explica que os pelos protegem a área, deixando-a menos vulnerável, mas não inibem as DSTs. O uso de preservativos é indispensável nas relações sexuais 


Pelos pubianos podem ajudar a disseminar DSTs. VERDADE: Tem até um parasita que gosta de morar nos pelos pubianos. É o 'chato' (Pthirus púbis), causador da pediculose pubiana ou ftiríase. Trata-se de "uma doença sexualmente transmissível pelos pelos desta região", diz a dermatologista Leandra Metsavaht. Os sintomas dessa doença são coceira, alterações da pele semelhantes à urticária, bolhas e manchas azuladas. A única forma de tratar é impedindo a fixação do parasita. Há medicamento para o combate da pediculose pubiana.


Pelo protege o corpo de picadas de insetos. MITO: "Os insetos picam áreas com pelos da mesma maneira que picam áreas sem pelos", diz a dermatologista Leandra Metsavaht 
Não depilar os pelos pubianos deixa a região mais sujeita a odores. MITO: "Não há nenhum estudo científico que comprove esta afirmação", afirma a dermatologista Leandra Metsavaht. Higiene é hábito fundamental para todos, independentemente da quantidade de pelo que a pessoa possui.


Há doença que faz a pessoa perder os pelos em parte ou em todo o corpo. VERDADE: "Essa doença é chamada de alopecia areata e tem origem auto-imune", explica Leandra Metsavaht. "Ela pode ser agravada por estresse, como um trauma emocional muito forte" .


Raspar o pelo faz com que ele nasça mais grosso. MITO: Quando o pelo recém-raspado começa a crescer temos uma falsa impressão de que os fios estão mais grossos. "Cortamos o pelo na área em que ele é mais espesso", explica a dermatologista Caroline Assed. Já a dermatologista Leandra Metsavaht diz que são os hormônios que determinam a espessura do pelo. "A tendência é de que os pelos da face engrossem mesmo", afirma.


Mulheres têm pelos mais finos que homens. VERDADE: "Os pelos das mulheres são mais finos principalmente devido a fatores hormonais e constitucionais", explica a dermatologista Caroline Assed.


Quantidade de pelos no corpo é genética. PARCIALMENTE VERDADE: É verdade que a genética influencia na quantidade de pelos. Os orientais e os índios têm muito menos pelos do que as outras raças, por exemplo. Mas outros fatores, como doenças e até mesmo nossas intervenções sobre o corpo, podem determinar a variação na quantidade de pelos que cobrem a nossa pele.


A barba deve ser feita no sentido dos pelos. VERDADE: Isto porque cortar a barba no sentido contrário ao dos pelos pode fazê-los 'encravar' - um problema conhecido como pseudofoliculite (a foliculite 'verdadeira' é causada por uma bactéria, o Staphilococcus aureus, e é contagiosa). Para evitar qualquer problema, a barba "deve ser feita no sentido dos pelos, com água morna, bastante creme de barbear e uma lâmina nova", alerta a dermatologista Leandra Metsavaht.


A depilação a laser tira os pelos para sempre. PARCIALMENTE VERDADE: Segundo a dermatologista Caroline Assed, não é garantido que será definitiva. "O esperado é a redução de pelo menos 80% do volume dos pelos", diz a especialista. "Os dermatologistas chamam este procedimento de epilação exatamente porque não é uma depilação verdadeira. A luz age nas células tronco dos folículos pilosos, levando a uma degeneração destas células que pode durar anos", complementa a dermatologista Leandra.


Depilação pode manchar ou escurecer a pele. VERDADE: "Tanto a depilação com cera quanto a depilação a laser podem manchar a pele", diz a dermatologista. "A cera quente pode manchar devido ao calor local e até causar uma queimadura", alerta. Já a depilação a laser pode provocar manchas tanto pela emissão da luz quanto pelo calor.


Clarear os pelos pode causar problemas de pele. PARCIALMENTE VERDADE: Para a dermatologista Caroline Assed, "o uso de clareadores nos pelos pode causar alergias cutâneas, principalmente a dermatite de contato". No entanto, segundo a dermatologista Leandra , o problema existe quando a água oxigenada ou o produto com ácido na composição é utilizado "numa pele fragilizada e sensível, pois pode causar queimadura e manchas". 


Algumas partes do corpo devem ter pelos obrigatoriamente. PARCIALMENTE VERDADE: Durante a puberdade, surgem no corpo os pelos que marcam características sexuais masculinas e femininas. Eles crescem devido à ação dos hormônios. Nos homens, aparecem na região das axilas, na face, no peito e por todo corpo, com maior ou menor volume. Nas mulheres, também crescem pelos nas axilas. Em ambos os sexos, surgem os pelos pubianos. Apesar de serem naturais e possuírem função de proteção, não necessariamente precisamos preservar os pelos nas axilas e púbis, segundo a dermatologista Leandra Metsavaht. A depilação dessas regiões trata-se de hábito cultural 


É melhor arrancar o pelo do que raspá-lo. MITO: Na realidade, aqui não uma regra. "A pessoa pode optar pelo que achar melhor", destaca Metsavaht.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS