Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$
SAÚDE VAGINAL

Saiba os três erros comuns que prejudicam a saúde íntima

quinta-feira, 09/07/2020, 11:38 - Atualizado em 09/07/2020, 11:47 - Autor: Com informações Notícias ao Minuto


É importante manter a saúde íntima, para um maior acompanhamento, é sempre bom procurar um ginecologista.
É importante manter a saúde íntima, para um maior acompanhamento, é sempre bom procurar um ginecologista. | Divulgação/Freepik

É fundamental e extremamente importante cuidar da sua saúde vaginal e vestir os tipos errados de roupa íntima pode aumentar o risco de infecções. De acordo com a Healthy há três erros muito comuns que as mulheres cometem. Confira!

Usar calcinhas que não são de algodão

O ideal é usar calcinhas feitas com fibras naturais. No mínimo, o elástico central deve estar forrado com um tecido em algodão para manter a região fresca e seca. Pesquisas, incluindo um estudo publicado em 2018 na revista Obstetrics & Gynecology, destacam que usar roupas íntimas que não sejam de algodão aumentam o risco de infecção por fungos. Os tecidos sintéticos - como o poliéster e a renda - podem ainda prejudicar a sua saúde vaginal, pois podem reter calor e umidade e ocasionar uma irritação na pele e criar um ambiente perfeito para bactérias ou fungos crescerem e se multiplicarem. 

Roupas muito justas

Nesse caso, o tamanho importa sim! As roupas íntimas muito justas também promovem a irritação e a infecção devido ao calor e umidade.

Luciano Huck apaga fotos com dono da Ricardo Eletro e vira piada na web

'Feijão encaralhado com arroz emputecido': receita de Ana Maria diverte web

Dormir de calcinha

Para a maioria das mulheres este não é um problema, mas para as que sofrem de inflamação crônica da vulva ou da vagina, dormir de calcinhas pode aumentar a probabilidade de infecções fúngicas, comichão e irritação.

Caso a mulher esteja sentindo algo anormal, é sempre importante consultar regularmente um ginecologista para que seja feito um acompanhamento médico.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS