Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / DOL Delas

DOL DELAS ESPECIAL

Mulheres no poder: escolhas em Belém e região metropolitana apontam para novos caminhos

O futuro é delas! Neste especial, o DOL entrevista 5 candidatas eleitas em Belém, Marituba e Benevides sobre suas experiências nas campanhas, desafios e perspectivas para os seus cargos.

quinta-feira, 31/12/2020, 11:56 - Atualizado em 31/12/2020, 11:55 - Autor: Reportagem: Bruna Dias. Edição: Enderson Oliveira. Edição de vídeos: Emerson Coe


Vivi Reis; Edivana Lima; Bia Caminha; Luziane Solon e Patrícia Mendes: algumas das eleitas no Pará nas eleições municipais deste ano.
Vivi Reis; Edivana Lima; Bia Caminha; Luziane Solon e Patrícia Mendes: algumas das eleitas no Pará nas eleições municipais deste ano. | Gabriel Caldas / DOL

Com 52% do eleitorado brasileiro, as mulheres ainda estão caminhando para sua emancipação em muitos setores. Um deles é na Política. No Pará, a eleição de várias mulheres nas últimas eleições municipais já aponta para um fortalecimento, ainda tímido, é verdade, da presença feminina nos lugares de poder.

Na Região Metropolitana de Belém, além da aposta em candidatos com propostas mais ousadas e inovadoras, também notamos a preferência por mulheres em importantes cidades como Marituba, com a prefeita Patrícia Mendes e a vice-prefeita, Pastora Rafaela. Em Benevides, merecem destaque a prefeita Luziane Solon e sua vice, Professora Edivana.

Em Belém, tivemos Vivi Reis, a vereadora mais votada da capital paraense, com 9.654 votos. Ela assumirá a vaga de Edmilson Rodrigues (PSOL) como Deputado Federal. Com isso, a suplente Enfermeira Nazaré, fica com a vaga dela na Câmara Municipal de Belém (CMB).

Quem merece muito destaque também neste pleito, é Beatriz Caminha, a Bia Caminha. Com 21 anos, ela é a vereadora mais jovem eleita para a Câmara Municipal de Belém. Foram 4.874 votos para uma mulher negra, bissexual e feminista, perfil bastante representativo para muitas outras pessoas.

Ver e ter mulheres no poder dá um alívio para tantas outras que lutam por emancipação, bem como apontam para novas possibilidades e caminhos, mais fortes e sensíveis. Para melhor entender isto também, ouvimos Karen Santos, mestra em Ciência Política pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e professora universitária, que nos apresenta um panorama sobre este novo cenário político:

LEIA TAMBÉM:

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS