Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Cursos & Empregos

DESAFIOS

Confira orientações para ingressar no novo mercado de trabalho

domingo, 21/06/2020, 09:06 - Atualizado em 21/06/2020, 09:41 - Autor: Luiz Octávio Lucas


"Se qualificar é regra básica. Buscar novos cursos e até mesmo fazer novas descobertas. É o momento das pessoas se redescobrirem, buscarem novas aptidões”, Alexandre Mendes, consultor de recursos humanos
"Se qualificar é regra básica. Buscar novos cursos e até mesmo fazer novas descobertas. É o momento das pessoas se redescobrirem, buscarem novas aptidões”, Alexandre Mendes, consultor de recursos humanos | Wagner Santana

O s números mais recentes de desemprego no Brasil não deixam dúvidas sobre a gravidade da situação ampliada com a pandemia de Covid-19. Segundo o Ministério da Economia, foram quase um milhão (960.258) de pedidos de seguro-desemprego em maio, índice 53% maior que o mesmo mês em 2019. No Pará, o IBGE estima que hoje existam 413 mil desempregados, com o Estado na 11ª posição no ranking nacional das unidades da federação. Um desafio para quem quer voltar ou entrar no mercado de trabalho e foca na reabertura gradativa das atividades socioeconômicas.

Consultor de recursos humanos Alexandre Mendes, da Adapt Consultoria, destaca que o candidato a um posto de trabalho deve observar várias questões para obter êxito na empreitada. O primeiro passo é a qualificação. “Se qualificar é regra básica. Buscar novos cursos e até mesmo fazer novas descobertas. É o momento das pessoas se redescobrirem, buscarem novas aptidões”.

Outro ponto importante é saber o que colocar no currículo. “Lembrar que precisa ser o mais objetivo possível. Não adianta enfeitar, colocar muita informação desnecessária”, avisa. “Você ficar colocando data de nascimento, numeração de documentos, não vai agregar em nada. Seja direto. Coloque a sua idade. Diga exatamente a área que você tem interesse”, prossegue. “Não adianta ficar jogando para todo lado, que dá a entender que você é um candidato que não tem foco”. Foto no currículo e em perfil em redes sociais também precisa ser séria, com postura, diz.

A seleção dos candidatos exige atenção redobrada. Muitas mudaram para o formato on-line, para preservar a saúde e o isolamento social. “Tenha um ambiente propício para isso, seja pra fazer uma entrevista de forma on-line, seja para um possível trabalho (home office)”, sugere Alexandre. “Precisa ser um ambiente neutro, que você tenha domínio sobre ele. Cuidado com a iluminação, com a sua postura, vestimenta, a sua própria fala. É a comunicação verbal e não verbal. Precisa estar muito atento a isso”.

CONTATOS

Ter um “networking” é algo que pode contribuir para se alcançar uma vaga. “Falar com amigos, falar com ex-colegas de trabalho”, pontua o consultor. “Há um grande número de desempregados. As pessoas não vão encontrar o emprego dos sonhos, então é importante que haja uma flexibilidade, disposição para trabalhar como ‘freelancer’, como MEI (microempreendedor individual), para você conseguir esse momento de recolocação no mercado”.

Alexandre Mendes observa que é preciso que as empresas levem em conta a experiência dos candidatos em trabalhos que não constem em carteira assinada. “É muito injusto querer do candidato uma forma de prova somente em carteira. A gente sabe que existe um mercado informal, sem carteira, tem o MEI. Isso vai ajudar e muito no seu processo de seleção”.

Áreas em alta e em baixa

Conhecer a situação atual do mercado de trabalho é outra recomendação que pode ajudar na conquista de um emprego, destaca a consultora de RH Nara d’Oliveira, da Gestor - Gestão Organizacional. “Não adianta falar ‘saí do Hotel Regente que fechou e vou para outro hotel, porque é o segmento de turismo, fortemente impactado”, exemplifica. “Até o segmento de turismo se reconstruir vai ser um ciclo de médio prazo. Esse profissional, que é pai e mãe de família, não vai poder esperar. Então ele vai ter que repensar a carreira dele como um todo”.

Segundo Nara, a partir disso surge um bom momento para se fazer treinamento, capacitação remota e se familiarizar mais com o mundo digital. “As atividades presenciais foram fortemente impactadas. Vou comprar produtos on-line e essas oportunidades estão sendo fortemente aproveitadas por empresas de pequeno médio e grande porte”, lembra, sobre áreas de E-commerce. “Muitos profissionais podem mudar para um negócio do lado empreendedor”, comenta.

Em um período mais recluso, as profissões que lidam com doenças emocionais e a própria Covid-19 seguem em alta. “Psicólogos, fisioterapeutas, profissionais de educação física e todos aqueles que podem trazer uma melhor qualidade de vida. Os médicos, enfermeiros, os técnicos na área da saúde”, cita a especialista.

"As vagas vão reaparecer, ainda que de forma muito tímida, porque a pandemia ainda não passou”, Nara d’Oliveira, consultora de RH
"As vagas vão reaparecer, ainda que de forma muito tímida, porque a pandemia ainda não passou”, Nara d’Oliveira, consultora de RH Divulgação
 

Supermercados e farmácias também são listados por Nara, além da área de logística e de tecnologia. “A logística desponta muito em função da tecnologia, com as vendas on-line, cursos a distância”, justifica. “Os supermercados e as farmácias cresceram de forma muito notória e continuam a ter vagas. As vagas vão reaparecer, ainda que de forma muito tímida, porque a pandemia ainda não passou”.

Por outro lado, setores como salões de beleza, bares e restaurantes sofrem com a retração em virtude das limitações de funcionamento. A consultora de RH destaca, então, que o ideal é se voltar para onde o mercado está aquecido. “No Pará são o agronegócio, transporte modal, mineração e tudo de primeira necessidade que se entrega em casa e que garanta um mínimo de interação”.

ENTREVISTA

Francine Silva, superintendente de recrutamento e seleção da Luandre - Soluções em Recursos Humanos, que atua junto a 200 empresas em todo o Brasil, faz uma avaliação do mercado de trabalho atual.

Com o retorno gradativo das atividades, quais setores devem ter mais demanda por vagas?

Acredito que a retomada será gradual em todos os setores e, com isso, estabelecimentos voltarão a contratar conforme a economia for se recuperando. Ainda tudo é muito incerto, mas vemos um movimento maior em setores ligados a tecnologia e internet, principalmente comércio eletrônico, com maior movimentação.

Como se preparar para as vagas que vão abrir?

A melhor maneira de se preparar para as vagas é manter o currículo atualizado, bem como cadastro em sites relacionados a busca de emprego. Fazer pesquisas constantes de quais empresas estão contratando também pode ajudar na hora de enviar o currículo para o lugar certo.

Como se reposicionar nesse mercado?

A melhor maneira para se reposicionar é buscando profissionalização. Escolher a área de atuação e ir em busca de cursos e formação para exercer a atividade desejada.

Qual a perspectiva de empregabilidade a partir de agora?

A empregabilidade tende a melhorar de acordo com a recuperação econômica do país. Setores como saúde, logística e varejo continuam em alta, por estarem ligados aos serviços essenciais. O aumento de equipes de serviços ligadas a limpeza também deve crescer com a adaptação dos escritórios aos protocolos de retorno ao trabalho durante a pandemia.

O que o mercado vai priorizar a partir de agora?

Adaptabilidade, comprometimento, autogestão, empatia, proatividade, flexibilização, entre outros. O mercado a partir de agora deve buscar profissionais que trabalhem bem nesta modalidade, com bom conhecimento tecnológico e principalmente ferramentas de internet.

APRENDIZADO ON-LINE E DE GRAÇA!

Cursos de capacitação on-line são uma ótima maneira de aproveitar o tempo em casa para preparar a volta ou início no mercado de trabalho. Veja uma lista de sites que oferecem as mais diversas qualificações sem cobrar nada!

1 - Avamec

O ambiente virtual de aprendizagem do MEC oferece cerca de 25 mil vagas em cursos de TI, Comunicação, Português e Matemática.

2 - Fundação Getúlio Vargas

Da Fundação Getúlio Vargas, oferece cursos de curta e média duração com temas como Liderança e Saúde Física e Mental na Internet.

3 - Senar 

Palataforma do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) que oferece mais de 50 cursos voltados para o setor.

4 -Governo Federal

Plataforma do Governo Federal com 674 cursos gratuitos de qualificação profissional ofertados por diversas instituições, como Senai, Fundação Bradesco, Google, FGV, Microsoft e Sebrae.

5 - Nube

Oferece cursos com temas como Organização de Currículo e Gestão de Carreira.

6 -Rock University

Oferece capacitações em marketing digital como Conteúdo para Web.

7 - Veduca

Tem capacitações em diversas áreas, como Planejamento Estratégico.

8 - Fundação Bradesco

Escola Virtual da Fundação Bradesco com cursos que vão do empreendedorismo à administração.

9 - FINDES

Tem cursos como Desvendando a Indústria 4.0 e Noções Básicas de Mecânica Automotiva.

10 – EAD

Plataforma EAD do Senac com capacitações nas áreas de Meio Ambiente e Saúde, Gestão e Negócios e Turismo, Hospitalidade e Lazer.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS