Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Um corredor cultural como forma de protesto

quarta-feira, 31/07/2013, 06:39 - Atualizado em 31/07/2013, 07:38 - Autor:


Um corredor cultural em frente ao Theatro da Paz, na abertura do Festival de Ópera, no próximo dia 8. A opção do público de conhecer mais a fundo a cultura paraense foi aprovada em assembleia aberta do “Movimento Chega!”, realizada na noite de ontem. Pássaros, quadrilha, teatro, música, performances, cartunistas, projeções, dança e todas as expressões artísticas serão representadas no corredor que promete estreitar a relação do público com a produção cultural do Estado. 


“A gente espera fazer desta praça (da República) um corredor cultural, para que quem vier assistir à ópera mude de ideia e assista às diversas atrações que vão ser disponibilizadas”, disse o cineasta Adriano Barroso. Ele acredita que o momento vai “possibilitar que o público conheça o mundo que é o Pará”. Este será o terceiro ato do “Movimento Chega!”, que reúne a classe artística inconformada com a situação da cultura.


O escritor Nazareno Tourinho também manifestou apoio às ideologias levantadas pelo espontâneo. “A atual política cultural de responsabilidade do Paulo Chaves é a mesma política cultural do passado: elitista, aristocrática, vaidosa e comprometida com os interesses da elite”, avaliou. As principais ações de cultura do Estado foram questionadas, como o Terruá Pará e o Festival de Ópera. Para o artista plástico Armando Sobral, o Chega! “tende a se consolidar como um movimento ativo de recuperação de políticas justas para a cultura”.


Os manifestantes pedem a saída de Paulo Chaves da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e não aceitam Nilson Chaves, presidente da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, como intermediador de diálogo com o governo do Estado, assim como já rejeitaram o secretário especial de Promoção de Social, Alex Fiuza de Melo.


Uma programação cultural gratuita será disponibilizada ao público de 14 a 18 de agosto, no Teatro Universitário Cláudio Barradas. Amanhã ocorrerá uma assembleia no Espaço Experimental de Dança Valdete Brito, às 19h, para produzir o ato na abertura do Festival de Ópera. No mesmo dia, às 17h, a classe artística fará uma organização de mobilização para o debate da Conferência Municipal de Cultura, a ser realizada pela Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), nos dias 10 e 11 de agosto.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS