Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Banda Madame Saatan se apresenta no Terruá Pará

terça-feira, 23/07/2013, 07:35 - Atualizado em 23/07/2013, 07:36 - Autor:


O Madame Saatan corre o risco de parecer um peixe fora d’água na Mostra Terruá Pará? Mesmo com o festival de música querendo expandir nessa edição o leque de opções, será que o grupo de thrash metal e hardcore consegue se encaixar na programação que traz os percussionistas do Manari e o carimbó de pau e corda do Som do Pau Oco? “Engraçado você dizer isso, mas sempre fomos tachados no meio do metal como uma banda ‘regional’ demais. Desde o começo, nosso som flerta com elementos paraenses. Às vezes de uma forma óbvia como na temática das letras. Outras menos, com influências musicais locais desconstruídas em meio a nossa sonoridade. No mês passado, por exemplo, tocamos junto com a Gang do Eletro em um festival aqui em Belém. Cantei ‘Galera da Laje’ e ‘Velocidade do Eletro’. O DJ Waldo Squash fez uma ótima versão eletro melody de ‘Até o Fim’. Acho acabamos sendo um híbrido de todas essas referências. Gostamos mais assim do que ficarmos limitados a uma coisa só”, conta a vocalista Sammliz.


De acordo com ela, o mais recente álbum da banda “Peixe Homem”, lançado no final de 2011, remete ao clima da região amazônica. A expressão do título tem a ver com o calor e umidade que se experimenta o ano todo na capital paraense, “que dá até pra peixe andar no asfalto de tão abafado que é”, explica a cantora. Da arte do CD até nos clipes de “Respira” e “Até o Fim”, ambos dirigidos pelo americano P.R. Brown, tudo transpira, respinga.


“Eu considero o ‘Peixe Homem’ quase um disco temático. Ele descreve a relação do homem com a água, a chuva que lava, o rio poluído. Essa relação de redenção e destruição com a natureza”, descreve.


Mudanças 


Com dez anos de carreira, o segundo disco do grupo “Peixe Homem”, que ainda conta com EP “Tao do Caos” (2004) e o homónimo “Madame Saatan” (2007), também marcou um período de mudanças com a entrada de dois novos integrantes na formação, que conta atualmente com Ed Guerreiro (guitarra), Nugoli (bateria) e Vince (baixo).


“Ano passado tivemos a saída do Ivan, que se mudou a trabalho para o Rio Grande do Sul, e do Ícaro, que foi vítima de um grave atropelamento. Hoje, o Ícaro até voltou a tocar em outros projetos, mas não se sente apto para voltar à antiga rotina da banda. Mas independente disso ninguém está brigado, ainda temos contatos. O Madame não rompeu, apenas expandiu o número de integrantes”, explica.


Festival


O show de hoje marca a penúltima noite de apresentações, sendo a décima primeira noite do espetáculo, que além do Madame Saatan, traz shows de Strobo, Manari, Som do Pau Oco, Cronistas da Rua e Loopcínico.Iniciada em maio e segue até o dia 30 de julho, a Mostra Terruá Pará conta com 72 artistas paraenses. Da Mostra Terruá serão selecionados 12 artistas para compor o espetáculo Terruá, que dá início a série de ensaios logo após o final da Mostra, em setembro.


Os ingressos podem ser retirados na bilheteria do Teatro Margarida Schivasappa no dia das apresentações, a partir das 18h. 


COMPAREÇA


A Mostra Terruá Pará de Música ocorre hoje, às 20h, no Teatro Margarida Schivasappa - Centur (Avenida Gentil Bittencourt, 650 - Nazaré). Entrada Franca, com retirada de ingressos no dia dos shows na bilheteria do teatro (a partir das 18h). Sujeito à lotação. 


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS