Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Projeto quer valorizar os saraus literários

terça-feira, 16/07/2013, 07:23 - Atualizado em 16/07/2013, 07:38 - Autor:


Em julho, a tentativa de resgatar a tradição dos saraus literários continua na programação de atividades da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves. A fundação realiza hoje mais uma edição do projeto “A noite é uma Palavra”. Além de revigorar todo o lirismo dos saraus, o projeto ainda divulga a produção dos artistas paraenses. O evento será às 19h30 no hall do espaço Ismael Nery (andar térreo) e tem entrada franca. 


No projeto, diversos poetas paraenses se revezam no palco, declamando poesias, lendo trechos de obras e contando histórias, acompanhados de instrumentos de cordas e percussão. O evento terá a participação dos poetas Izarina Maria Tavares, Geovane Belo, Juraci Siqueira, Heliana Barriga e Catalina Murchio, que apresentará poemas de Francisco Pinto Mendes.


O poeta Antônio Juraci Siqueira publicou mais de 60 títulos individuais entre folhetos de cordel, livros de poesias, contos, crônicas e histórias humorísticas. Ele diz que o evento proporciona momentos de aprendizagem e conhecimento. “Fico feliz em poder participar. O público vai poder contar com momentos diferenciados, já que cada um tem seu próprio estilo de recitar e gesticular a sua poesia”. Entre os poemas de Juraci que serão recitados estão “Espelhos e Punhais” e “Voo Noturno”


A castanhalense Heliana Barriga já possui 50 livros publicados entre poemas e literatura infantil. Para ela, toda iniciativa de estimular a poesia é válida. “Vejo um grande sucesso do projeto porque atrai um público bom que gosta ou acaba gostando e se interessando pela poesia”, destaca. Dos poemas que recitará, destacam-se os da obra “Terra Mulher”, como “Ladainha Amazônica” e “Poemas de dentro”, que fala do corpo da mulher.


“A grande importância de um evento literário como esse é, acima de tudo, dar acesso a essas ricas obras, formando assim uma plateia que seja sensível à poesia e que crie o hábito de frequentar saraus”, afirma Bella Pinto de Souza, gerente de Promoção Editorial da Fundação. 


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS