Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Fábrica de Chocolate com tempero paraense

quarta-feira, 10/07/2013, 07:42 - Atualizado em 10/07/2013, 07:42 - Autor:


Já imaginou se Willy Wonka surgisse com todos os seus Oompa-Loompas em plena Belém do Pará? Essa loucura se tornará realidade – ou quase, quando o personagem William Ronca, um vendedor fracassado de bombons regionais que está passando por necessidades. Sua prima Gaby tem uma ideia para tirá-lo do buraco: forjar a venda de bombons “mágicos” enganosos, prometendo resolver os problemas das pessoas. A farsa funciona tão bem que ela resolve partir para um plano ainda mais ousado: disfarçar o primo de Willy Wonka. A família consegue enganar a população inteira e a cidade vira de cabeça pra baixo com a chegada da tão famosa fábrica. O enredo livremente adaptado para as terras paraenses estreia hoje no Teatro Claudio Barradas no espetáculo “A Quase Fantástica Fábrica de Chocolate”. 


A peça tem direção de Bárbara Gibson e Erllom Viegas e faz parte do projeto de extensão ‘Novos Encenadores’, coordenado pelo professor da Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA), Paulo de Tarso. Segundo Erllon Viegas, diretor do espetáculo, o espetáculo aposta na crítica bem-humorada à cultura provinciana da cidade. 


“A cidade supervaloriza tudo o que vem de fora em detrimento do que é nosso”. Barbara Gibson, que além de dramaturga, assina a co-direção. “Ao mesmo tempo, é uma homenagem à nossa cultura, pois a Fábrica que construímos é totalmente paraense. Os Oompa-loompas até cantam em ritmo de carimbó”, adianta.


“A Quase Fantástica Fábrica de Chocolate” tem vários momentos musicais e coreográficos, executados por um elenco de aproximadamente quarenta pessoas. João Urubu é o responsável pela trilha sonora e está entusiasmado com o trabalho. “É um processo desafiador, pois são muitas canções e vários atores em cena, mas os dramaturgos também entendem de música e isso ajudou bastante”. A direção coreográfica conta com a ajuda de Larissa Imbiriba e Cássia Thaís.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS