Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Orquestra e Coro Lírico realizam concerto

segunda-feira, 08/07/2013, 09:07 - Atualizado em 08/07/2013, 09:07 - Autor:


Para celebrar os 400 anos da fundação de Bragança, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, realiza um concerto sinfônico, ao ar livre, no centro da cidade. A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) e o Coro Lírico do Festival de Ópera do Theatro da Paz são as atrações do programa, e se apresentam, às 20 horas, na praça que fica em frente ao Instituto Santa Terezinha, com acesso gratuito ao público.


Bragança é um município paraense com uma sólida tradição cultural. São famosas em todo o Estado as bandas sinfônicas da cidade e os artistas que nasceram na “Pérola do Caeté”, título pelo qual a cidade também é conhecida, numa referência ao rio que banha Bragança. Mas é na Marujada que Bragança mais se destaca. A festividade, que louva São Benedito, é uma mistura de folclore e religião que se renova a cada mês de dezembro na cidade.


Para celebrar uma data tão cheia de significados, a OSTP, composta por 64 músicos, e o Coro Lírico do Festival de Ópera do Theatro da Paz, com 50 integrantes, se unem novamente. Sob a regência do maestro Miguel Campos Neto, vão apresentar um repertório de importantes peças da música clássica, muito populares e conhecidas do grande público. A parceria entre orquestra e coro vem de muito tempo e o resultado, que já é conhecido das montagens das óperas durante o Festival de Ópera do Theatro da Paz, poderá ser conferido pelo público de Bragança.


O concerto se inicia com as conhecidíssimas aberturas das óperas “O Guarany”, de Carlos Gomes, e “Guilherme Tell”, de Rossini. Em seguida, serão executadas “Boda de Luis Alonso”, de G. Giménez; “Unter Donner und Blitz”, de J. Strauss; a brasileira “Trenzinho do Caipira”, de Heitor Villa-Lobos; “Batuque”, de Lorenzo Fernandez; “Bolero”, de Maurice Ravel; “Va, pensiero”, da ópera “Nabucco”, de Giuseppe Verdi; “O Fortuna”, da cantata “Carmina Burana”, de Carl Orff; se encerrando com “Coro dos Ferreiros”, da ópera “Il Trovatore”, de Verdi, num total de dez peças.


O maestro Miguel Campos Neto diz não ter dúvida de que o público vai reconhecer as peças aos primeiros acordes. “São peças conhecidas, que já foram ouvidas de alguma maneira em comerciais, filmes e outros momentos. O público se identificará com elas logo de início. É um repertório popular, sem sair do clássico, e sendo assim a pessoa que estiver tendo, talvez, um contato inicial com a música erudita, vai perceber a riqueza e a beleza das peças”, comenta Miguel. “São peças que têm um efeito sonoro muito bom para apresentações ao ar livre”, ressalta


BICENTENÁRIO 


Miguel lembra que várias das peças do repertório do concerto já foram executadas pela orquestra e coro em conjunto, mas lembra que o programa também é especial, enfatizando duas obras de Verdi, celebrando os 200 anos de nascimento desse compositor italiano, que se comemora em 2013. A peça “Va, pensiero”, da ópera “Nabucco”, foi executada no concerto de encerramento do Festival de Ópera, ao ar livre, em 2011, em Belém. A outra peça de Verdi é o “Coro dos Ferreiros”, da ópera “Il Trovatore”, que será apresentada pela primeira vez pela orquestra e coro, já antecipando a encenação da ópera no Festival de Ópera 2013, sendo, portanto, um momento inédito e de estreia.


A OSTP iniciou em 2005 o processo de interiorização com apresentações por todo o estado do Pará, já tendo se apresentado nas cidades de Castanhal, Vigia, Capanema, Tucuruí, Santarém e Marabá. Agora é a vez de Bragança.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS