Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Estreia o espetáculo ‘Perfídia Quase Perfeita’

quinta-feira, 27/06/2013, 08:17 - Atualizado em 27/06/2013, 08:17 - Autor:


Escrita pelo dramaturgo Carlos Correia Santos, a peça “Perfídia Quase Perfeita” estreia temporada hoje em Belém. O texto já contou com leitura dramática realizada no Rio e foi publicada em livro por editora de São Paulo. Desta vez, a montagem é toda paraense e será apresentada ao público de hoje até a domingo, com entrada franca. A realização é do Coletivo Parla Palco e leva aos palcos os atores Maíra Monteiro e Waldiney Velasco.


Em 2007, Perfídia foi escolhida entre mais de 800 textos de todo o país para integrar o projeto Seleção Brasil em Cena, do Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. Ao lado de Carlos Correia na lista dos selecionados, nomes como Fábio Porchat. O prêmio rendeu uma leitura dramática dirigida por Stella Miranda e apresentada ao público carioca com grande êxito.


A peça de Correia é uma comédia de suspense. Uma história nonsense com toques de humor cáustico. A trama acontece numa casa de subúrbio. O ano? Algum momento das décadas de 40 ou 50? Dias atuais? Impossível saber. Enquanto o rádio ligado na sala traz as perturbadoras emoções do último capítulo da novela “Perfídia Quase Perfeita”, Cezinha e Dagmar vivem um patético e constrangedor dilema: há um caixão e um revólver no recinto. Um deles está morto. Mas qual dos dois? A pergunta não é quem matou, e sim quem morreu.


“Estou bastante animado de ver esse meu texto, que tanto amo, ganhando mais uma encarnação. Na verdade, eu tinha escrito originalmente a peça para a Maíra e o Waldiney. Isso em 2006. Mas as coisas foram acontecendo, a dramaturgia voou com asas próprias e conquistou outros rumos. Todos belos, claro. Mas, como de certa forma eu devia isso a esses dois atores paraenses, agora estreamos essa nova leitura do trabalho”, explica Carlos.


Para os intérpretes, o momento é de expectativa. “Estamos ansiosos para ver como o público de Belém receberá nossa encenação. Temos nos dedicado com muito carinho a preparar um espetáculo instigante e surpreendente”, afirma Maíra Monteiro. Waldiney complementa: “Claro que sentimos aquele friozinho na barriga típico das estreias, mas temos certeza de que o trabalho que vamos apresentar vai fazer o público rir, ficar inquieto e envolvido com os personagens”.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS