Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Começa hoje o Salão de Arte Contemporânea

quinta-feira, 27/06/2013, 08:12 - Atualizado em 27/06/2013, 08:12 - Autor:


Uma aposta na experimentação e no conhecimento. Estímulo a jovens artistas e fomento para a produção autoral. O Sesc Boulevard abre hoje à noite o 5º Salão Sesc Universitário de Arte Contemporânea. Na ocasião, serão conhecidos os três melhores trabalhos, além dos artistas selecionados. O evento será às 20h e tem entrada franca.


O salão tem o objetivo de incentivar a produção artística acadêmica e recebeu trabalhos de artistas de todo o país. O evento cresce a cada ano e se consolida como um celeiro para novos talentos. 


A seleção dos trabalhos da atual edição foi feita pelo artista plástico João Cirilo; pela curadora, pesquisadora e professora Marisa Mokarzel e pela artista, pesquisadora e professora Val Sampaio. Nos trabalhos selecionados encontram-se imagens poéticas, acompanhadas de um pensamento filosófico ou de um cenário urbano, ora contrapondo-se, ora em sintonia com a natureza.


Na mostra, o público poderá observar trabalhos inseridos nas diversas categorias de arte, que atravessam diferentes linguagens, prevalecendo, no entanto, a fotografia. A produção audiovisual também teve destaque este ano. “[As obras] vêm acompanhadas de uma reflexão que se detém, com mais vagar, no contexto contemporâneo, sem esquecer as questões específicas da arte”, afirma o júri de seleção.


Entre os selecionados, destacam-se as obras “Cada Instante” e “Tornar Visível”, de Débora Flor. “Esse trabalho e essa seleção são muito importantes pra mim. Venho construindo e pensando nele ao longo dos oito meses que estive morando na Campina. Fala desse lugar que foi meu, da minha relação com ele, com as janelas”, conta a jovem. 


Evna Moura, estudante de artes visuais da UFPA, ressalta a importância de espaços como o do Salão Sesc Universitário. “Acabei tendo a alegria de ser selecionada. A partir disso, o incentivo veio de diversas formas, além do gás pessoal em continuar participando de outros salões, que eu considero o mais importante. Tem muita gente fazendo coisa legal nesse estado e precisando apenas de um incentivo”.


As obras de Evna são fotografias feitas na ilha do Combu, durante um convívio estabelecido desde o ano de 2011 até hoje, ao qual a artista pode recordar algumas de suas memórias íntimas (de infância) e perceber a dos moradores da ilha com o seu lugar de pertencimento. As imagens fazem parte de uma série que se intitula “Afeto Orgânico”. 


O salão pretende dar sequência e continuar contribuindo na descoberta de novos nomes das artes visuais, buscando trabalhar paralelamente a visão estética, o senso crítico e as possíveis sensações do espectador, aguçando seus sentidos e a percepção do seu eu no contexto sociocultural. A visitação termina no dia 4 de agosto, no horário das 10h às 19h. 


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS