Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Prêmio celebra obra do maestro Tom Jobim

quarta-feira, 26/06/2013, 07:36 - Atualizado em 26/06/2013, 07:36 - Autor:


Uma incursão para levar ao Brasil a força de um de seus maiores poetas. No terceiro ano da versão itinerante do Prêmio da Música Brasileira, o projeto chega a Belém com espetáculo especial em homenagem ao compositor Tom Jobim. Hoje, no palco do Theatro da Paz, se encontram nomes de peso da música nacional, como Adriana Calcanhotto, Zé Renato, João Bosco, Zélia Duncan e Roberta Sá. As inscrições para concorrer a ingressos podem ser feitas no site do Prêmio da Música Brasileira - www.premiodamusica.com.br.


A 24ª edição do Prêmio da Música ocorreu primeiramente em cerimônia no Theatro Municipal do Rio, no dia 12 deste mês. E é justamente a obra do maestro soberano Tom Jobim, homenageado do ano, que serve como base do roteiro da turnê. Com apresentação do ator Murilo Rosa, a versão itinerante do projeto começou por São Luís e já passou dois municípios paraenses, Parauapebas e Marabá. Depois do show de hoje, em Belém, a turnê passará ainda por São Paulo, Vitória, Belo Horizonte e Itabira, encerrando no Rio de Janeiro, no dia 10 de julho.


Tom Jobim é conhecido por ser um poeta do amor, cujas canções demonstram a maestria de um exímio compositor. Suas músicas fazem parte do imaginário popular e já embalaram diversas histórias apaixonantes – assim como muitas tristezas - pelo país afora. No espetáculo, o apresentador Murilo Rosa faz um apanhado dos melhores momentos da cerimônia do Municipal e conta a história de Tom Jobim. Adriana Calcanhotto interpretará, entre outras, ‘Eu sei que vou te amar’, ‘Estrada do sol’ e ‘Outra vez’, em dueto com Zélia Duncan, que cantará ainda canções como ‘Desafinado’ e ‘Luiza’. Roberta Sá canta, entre outras, ‘Sabiá’ e ‘Insensatez’. Um número final surpresa reúne todos os artistas convidados no palco. Cada cidade terá um artista local, interpretando ‘Wave’ – em Belém, é a cantora Aíla que empresta a voz à canção.


De acordo com o idealizador e diretor geral do Prêmio da Música Brasileira, José Maurício Machline, a escolha de um repertório representativo da vasta produção de Tom é um dos maiores desafios do projeto. “É muito difícil fazer uma seleção na obra do Tom Jobim, pelo absoluto nível de excelência do que ele produziu. Poderíamos fazer vários shows, com diferentes repertórios. Procurei ressaltar a pluralidade da criação deste grande artista, mostrando o quão rica e diversificada é a sua obra. Os cinco artistas que convidamos me ajudaram diretamente nessa difícil escolha. Assim, chegamos ao roteiro final, com 25 canções”, relata o diretor do espetáculo.


Na estrada, clássicos são revisitados


Homenageado do ano passado, João Bosco volta à estrada para reler músicas imortais, como ‘Chega de Saudade’ e ‘Águas de Março’, além de fazer um dueto com Zé Renato em ‘Tereza da Praia’. O artista considera-se um agraciado pela possibilidade de revisitar a obra de Tom na série de shows pelo Brasil. “Eu acredito que Tom Jobim seja o grande compositor de nossa música popular. Soube como ninguém fazer a ponte entre a música de concerto (Villa Lobos) e a música popular propriamente dita. Sempre misturou essas linguagens com maestria. É um privilégio homenageá-lo”, declara o compositor. João Bosco atualmente está envolvido na turnê de seu último trabalho, o CD e DVD “40 anos depois”, que comemora as décadas de sua trajetória.


Zé Renato relembrará ‘Garota de Ipanema’ e ‘Por causa de você’ e fará um segundo dueto com Roberta Sá, em ‘Eu te amo’. Trabalhando no próximo disco do grupo que integra, o reconhecido Boca Livre, a ser lançado em julho deste ano, o artista tem um carinho especial por uma das canções de Tom a ser executada por ele. “Acho que ‘Garota de Ipanema’ tem significado especial por se tratar de uma das músicas mais conhecidas em todo o mundo e existe também a inesquecível gravação de Tom com Frank Sinatra, que a tornou um clássico da música mundial”, considera. 


Um pouco mais perto de lugares longínquos 


Na terceira edição itinerante, o Prêmio da Música Brasileira aumentou significativamente a abrangência do projeto. Passando por nove cidades brasileiras, desta vez o estado do Pará foi um dos mais contemplados pelo espetáculo. O mesmo show que passa hoje por Belém na última semana esteve em Paraupebas e Marabá, ambos realizados em espaços públicos dos municípios. E a experiência parece ter engrandecido os participantes.


Pelo menos é isso que sugere o depoimento de Zé Renato. “Passar por lugares como as cidades do interior do Pará têm sido uma das melhores sensações para todos nós. Ver o público integrando-se totalmente, cantando junto praticamente durante o show inteiro, demonstrando a capacidade e sensibilidade do público brasileiro em se divertir cantando um repertório de qualidade inquestionável”.João Bosco aproveita a temporada no Pará para suscitar boas lembranças, como o show realizado em Parauapebas no ano passado. “É sempre uma alegria enorme poder viajar por todo o Brasil. No ano passado, já tinha me apresentado em Parauapebas e foi sensacional, assim como esse ano, com o público todo cantando Tom Jobim. Em Marabá, foi a mesma coisa, a praça lotada cantando Tom Jobim. É uma honra poder levar essa obra a esses lugares”, diz o compositor.


E a resposta do público paraense é o que justifica tanto carinho pela passagem por estes municípios. “E a reação do público até aqui tem sido excepcional. Fizemos dois shows em praça pública no Pará, lotados, com as pessoas cantando todas as canções. Esta turnê tem sido muito emocionante por esses e outros motivos”, considera José Maurício, diretor geral do espetáculo.


HISTÓRIA


Criado em 1988, o Prêmio da Música Brasileira é considerado um dos maiores eventos do setor. A premiação se consolidou por resgatar e celebrar grandes nomes do cenário nacional, como homenagens feitas a artistas renomados, como também por avalizar carreiras de artistas iniciantes ou com expressão de alcance regional. A turnê itinerante do Prêmio da Música Brasileira está sendo realizada pelo terceiro ano consecutivo e nesta edição conta com o patrocínio da Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), do Ministério da Cultura. 


PRESTIGIE


Espetáculo itinerante do Prêmio da Música Brasileira - com Adriana Calcanhotto, João Bosco, Roberta Sá, Zélia Duncan e Zé Renato. Hoje, às 21h, no Theatro da Paz. Concorra a ingressos no site www.premiodamusica.com.br


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS